Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2018

As Assembleias de Deus fragmentadas do Rio de Janeiro

Imagem
O Rio de Janeiro ainda era a Capital da República do Brasil quando, em 1925, o missionário sueco Gunnar Vingren e sua esposa Frida organizaram oficialmente a Assembleia de Deus no bairro de São Cristóvão, Zona Norte da cidade. Conduzida pelos obreiros escandinavos, o trabalho pentecostal expandiu-se por toda a região do antigo Distrito Federal e o estado fluminense. Ainda na década de 1920, Paulo Leivas Macalão deu início ao seu ministério nos subúrbios do Rio. Não era uma divisão formal, pois Macalão desenvolvia suas atividades evangelísticas em cooperação com os suecos, mas o próprio Vingren havia registrado em seu diário o perfil independente do jovem obreiro. Em 1941, finalmente, o Ministério de Madureira obteve sua personalidade jurídica. Informalmente, porém, a distinção Missão e Madureira já tinha se imposto nas ADs do Rio, e por conta das circunstâncias, com mais força em São Paulo. O saudoso pastor José Pimentel de Carvalho, em histórica entrevista ao O Assembleiano

Cícero - o esquecido desbravador das ADs em Mato Grosso

Imagem
Da sua terra natal, Mossoró, no Rio Grande do Norte, ele sempre carregou o sotaque e a "marca de caráter de um homem que foi formado na luta diária contra a terra árida". Talvez isso explique a firmeza, a segurança e a obstinação do "timoneiro" Cícero Canuto de Lima (1893-1982), saudoso pastor da Assembleia de Deus do Ministério do Belém, São Paulo. Certos fatos são conhecidos da escassa biografia de Cícero: sua rejeição aos Institutos Bíblicos e a sua controversa sucessão no Belenzinho. Como aconteceu com a maioria dos pastores que não fizeram seu sucessor, o pioneiro pentecostal (juntamente com sua família), praticamente caiu no esquecimento. Porém, informações da vida e ministério do saudoso pastor aparecem com certo atraso, após três décadas da sua morte. Seu sucessor, o pastor José Wellington Bezerra da Costa (em sua biografia escrita pelo jornalista Isael de Araújo) e o pastor Jesiel Padilha no livro biográfico sobre seu pai, o veterano pastor Carlos

Círculo de Oração Masculino na IEADJO - primórdios

Imagem
O Círculo de Oração feminino é uma das instituições mais respeitadas dentro das Assembleias de Deus no Brasil. Fundado em 1942, pela irmã Albertina Bezerra Barreto, na Assembleia de Deus em Recife, Pernambuco, logo o departamento se espalhou por todo o Brasil. O Círculo de Oração, sempre foi um importante espaço para as lideranças femininas da denominação. Não por acaso, em muitas igrejas, quem assume o departamento é a esposa do pastor do campo. É necessário, ter sob controle, a estratégica reunião de senhoras, em geral, baluartes da "doutrina" assembleiana. Em 1986, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Joinville (IEADJO), criou o Círculo de Oração Masculino na gestão do pastor Satyro Loureiro. Na época, Satyro tinha como seu principal auxiliar na congregação do templo sede, o então presbítero e genro, José Paulino Müller, o qual, teria sido um dos principais incentivadores do projeto. Criado o departamento de oração masculino, foi escolhido o presbítero Pa