Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2021

Está Errado - Escolha de Obreiros

Imagem
O Pastor José Menezes (1896-1972) foi um dos grandes pioneiros das ADs Brasil e profícuo escritor pentecostal. Entre 1960 a 1973, foi comentarista das Lições Bíblicas da Escola Dominical da CPAD e colaborador do extinto Boa Semente e do Mensageiro da Paz. Paraibano de São Miguel de Taipu, Menezes tinha origens presbiterianas quando entrou em contato com as ADs em 1919. Por décadas serviu como obreiro em diversos estados do país e faleceu em 1972, na liderança da AD em Manaus. Além disso, o pioneiro foi um arguto observador das transformações sociais, litúrgicas e ministeriais das ADs. Algumas dessas observações sobre os rumos da denominação, ele deixou registrado em 1969, na coluna "Está Errado" do Mensageiro da Paz , na época, o principal mídia das ADs no Brasil. O ano de 1969, também marcava os 50 anos do ingresso de José Menezes na igreja pentecostal nascida em Belém do Pará.  Pastor José Menezes (1896-1972) Numa das edições do Mensageiro da Paz , Menezes tratou do tema:

AD em Cacoal - 50 anos de vitórias

Imagem
Cada história de uma Assembleias de Deus tem suas peculiaridades. No estado de Rondônia, a denominação possuí uma característica muito própria: ela surge quase sempre antes das instituições seculares. Quando a Assembleia de Deus nasceu em 1922, em Porto Velho, toda a região ainda pertencia ao Amazonas e Mato Grosso. Somente em 1943, através do Governo Vargas, que o antigo Território do Guaporé foi criado. Primeiro veio a igreja, depois a organização política e institucional. Durante longos anos, Rondônia (nome dado em homenagem ao Marechal Cândido Rondon, em 1953) foi uma parte do Brasil sem conexão direta com o próprio país no qual estava integrado. Seu acesso se dava primordialmente através dos rios da região amazônica. Pequenos povoados no interior da floresta, habitados por seringueiros, mineradores e tribos indígenas ocupavam a vasta imensidão da selva. A partir da década de 1960, com a abertura da BR-364, as pequenas vilas começaram a receber migrantes de todas as partes do Brasi

A Convenção Geral de 1999 - Mudança de Rumo

Imagem
A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), realizada no Palácio de Convenções do Anhembi, em São Paulo/SP, entre os dias 11 e 15 de janeiro de 1999, foi marcada pela polêmica. Cyro Mello, antigo colunista do Mensageiro da Paz, chamou-a de "Convenção da liminar", onde os "discursos e assuntos discutidos ficaram 95% só para quem entendessem de leis". As liminares (ordem judicial provisória que analisa um pedido urgente) foram somente, a parte visível e pública das intensas disputas de bastidores pelo controle da Convenção Geral.  No Palácio do Anhembi em 1999, o Pastor José Wellington da Costa disputou à presidência da CGADB com o Pastor Túlio Barros Ferreira, da AD em São Cristóvão/RJ. O Pastor José Wellington confessou em sua biografia, que o Pastor Túlio foi seu "concorrente mais temido".  Meses antes da convenção se realizar, o Pastor Túlio distribuiu entre os ministros presentes em São Paulo um panfleto crítico à Mesa Diretora da Conve