domingo, 28 de fevereiro de 2021

Os 90 anos da AD em Santa Catarina - André Bernardino, o jovem rebelde

Neste mês de março de 2021, a AD em Santa Catarina completa 90 anos de fundação. Atualmente a AD catarinense mais as igrejas do Sudoeste do Paraná contam com 304 campos eclesiásticos, 2.800 templos e 300 mil pessoas entre membros e congregados. Para comemorar a data tão marcante, iremos destacar aqui no blog algumas fotos e histórias da AD em Santa Catarina e Sudoeste do Paraná. 

André Bernardino e sua esposa Dzidra Graudin

André Bernardino da Silva, na época com 27 anos de idade e solteiro, foi quem iniciou os trabalhos da AD em Santa Catarina, mais precisamente na cidade portuária de Itajaí, em 15 de março de 1931. Antes da sua conversão, Bernardino tinha dado muito trabalho à família. Era um jovem rebelde, fruto de um relacionamento pouco convencional para a época entre o seu pai, Bernardino José da Silva (quando estava viúvo) e a empregada. Após seu nascimento, a criança e a mãe foram enviados para Niterói, no estado do Rio de Janeiro.

Aos 10 anos de idade, André veio morar com o pai e irmãos, filhos de Bernardino José do primeiro e segundo casamento. As brigas entre os irmãos de mães diferentes eram constantes. Para tentar solucionar solução os conflitos familiares, André foi matriculá-lo na Escola de Marinheiros em Florianópolis de onde fugiu para o Rio de Janeiro. Lá foi internado no Colégio Marista em Niterói pela mãe. Mas de nada adiantou, pois o jovem rebelde e brigão envolveu-se na vida boêmia no Rio e adoeceu gravemente.

À beira da morte recebeu a oração de  Gunnar Vingren e foi curado instantaneamente. Após meses no Rio, pregando e auxiliando na área musical, voltou a Itajaí. Nesse momento todos já sabiam que o filho rebelde agora voltava como herege “que havia abandonado o catolicismo”. A presença do ex-boêmio com sua "nova religião" causou alvoroço e espanto.

Com tantas expectativas e curiosidade em torno de sua pessoa, o Bernardino "herege" fez um culto na casa de uma tia com a presença de duas primas. Logo depois, uma anciã ofereceu sua casa para o primeiro culto oficial da AD em Santa Catarina, no dia 15 de março de 1931. A primeira mensagem pregada foi em Marcos capítulo 16, e logo ocorreram as primeiras conversões.

Com a expansão da obra, Gunnar Vingren visitou o estado e ordenou André Bernardino ao ministério pastoral. Mas observou: "Não deveria consagrá-lo ao ministério. Você tem muito pouco tempo de conversão e é solteiro, mas devido à falta de obreiros vou separá-lo ao pastorado".

Tempos depois, André casou-se Dzidra, filha de um pastor leto-batista que havia recebido o batismo com o Espírito Santo em Guaramirim, em 1909. Pelas informações colhidas, Bernardino ficou na liderança da AD catarina por cinco anos. Os motivos? Conto em outra postagem!

Fontes:

ADAMI, Saulo; SILVA, Osmar José da. André Bernardino da Silva: pioneiro da Assembleia de Deus em Santa Catarina. Blumenau: Nova Letra, 2011.

ARAÚJO, Isael. Dicionário do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007

LOUREIRO, Satyro (et al.). 1931-1981 50 anos: o jubileu de ouro das Assembleias de Deus em Santa Catarina e sudoeste do Paraná. Itajaí: Maracolor, 1981.