Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2018

O novo templo da IEADJO - as controvérsias

Imagem
Passados 30 anos da inauguração do atual templo sede da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Joinville (IEADJO), a obra já se tornou parte da paisagem de uma das mais movimentadas vias da cidade: a Avenida Getúlio Vargas, 463. Nesse período, o tempo amenizou ou fez esquecer algumas controvérsias e críticas do período da construção da obra.  Iniciada a edificação do futuro templo em 1985, a IEADJO ficou em suspense em alguns momentos com as limitações físicas do seu pastor-presidente. Satyro Loureiro, durante esse tempo, teve sérios problemas de saúde. No período da construção, o veterano obreiro foi internado e nas conversas reservadas dos obreiros, havia dúvidas se ele conseguiria terminar a construção que iniciou. O Assembleiano: editado por Judson Canto O ambiente de incertezas, de campanhas de oração pela restauração da saúde do pastor Loureiro e de sucessão indefinida, deu margens às "profecias" fatalistas, as quais afirmavam que ele não viveria para ver

Inauguração do templo sede da IEADJO

Imagem
Na manhã do dia 15 maio de 1988, com a presença de autoridades civis e eclesiásticas, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Joinville (IEADJO), comemorou com grande entusiasmo, a inauguração do seu atual templo sede, localizado na Avenida Getúlio Vargas, 463; uma das principais vias da cidade. Presente no município de Joinville desde 1933, o primeiro templo sede da IEADJO foi erguido sob à liderança do missionário estadunidense Virgil Frank Smith e inaugurado no dia 20 de junho de 1943. Mas com o crescimento constante da cidade, e paralelamente da igreja, o templo construído por Smith logo ficou limitado. No pastorado de Antonieto Grangeiro (1957-1967), houve a ampliação e remodelação da obra e no tempo do pastor Artur Montanha (1967-1972), projetos para um novo edifício eram analisados. O sucessor de Montanha, o pastor Liosés Domiciano (1972-1978), também tinha planos nesse sentido, mas queria construir o novo templo em outro local. Templo da IEADJO inaugurado em 198

Maria Madalena - A Matriarca da fé

Imagem
No dia 02 de novembro de 1913, no município de Santa Maria Madalena, nasceu a filha caçula do casal Francisco Rodrigues Tavares e Quitéria Maria de Araújo. Registrada somente no dia 13 de novembro, a menina ganhou o nome de Maria Madalena em homenagem a padroeira da pequena cidade fluminense. Interessante, que o lema da cidade é: Salus labor spes (Esperança e firmeza do trabalho). Ao olhar em retrospecto à vida de Madalena, conterrânea da atriz Dercy Gonçalves, verifica-se realmente o seu constante trabalho e firmeza na obra pentecostal. Com o início do fim do ciclo do café, à família Tavares e Almeida foi para o Rio de Janeiro, na época Capital da República em busca de trabalho e melhores condições de vida. Fixara-se no bairro de São Cristóvão e ali trabalharam nas empresas da região.  Mas logo as dificuldades bateram à porta da família. No Rio, Madalena deu à luz a três crianças: Juarez, Elenice e Maria Therezinha. Elenice, como no caso do primogênito faleceu com po