A Catedral de Madureira - mobilização e milagres

O dia 14 de março de 1948, foi um domingo chuvoso no Rio de Janeiro. Uma forte tromba d'água desabou sobre parte do município, levando muitos ao desespero e trazendo prejuízos aos moradores e comerciantes locais. Pelo menos uma vítima fatal foi contabilizada depois da enxurrada.

Naquela mesma hora (às 16:00), em que a torrencial chuva caia sobre sobre o Rio, o pastor Paulo Leivas Macalão, crentes, banda de música e obreiros de Madureira estavam reunidos em uma cerimônia especial: o lançamento da pedra fundamental do futuro templo sede do Ministério, na Rua Carolina Machado, 174.

O salão de cultos da Rua Borborema já estava pequeno para abrigar o grande número de crentes. A oportunidade para iniciar à construção, veio quando Zélia Macalão viu no jornal o anúncio da venda de um terreno com as dimensões apropriadas para o projeto. Havia ainda um grande atrativo: o lote localizado na Rua Carolina Machado ficava em frente à linha férrea do bairro, ponto estratégico de grande movimentação e visibilidade.

Comprado o terreno, Macalão mobilizou todo o Ministério para o desafio de erguer o templo. Em março de 1948, o lançamento da pedra fundamental, em novembro de 1949, a celebração da festa da cumeeira (costume no qual, quando a estrutura de algum edifício está concluída, é feita uma festa para celebrar a finalização dessa etapa importante da construção).

Festa da cumeeira no templo da AD em Madureira em 1949

Estrategicamente, Macalão aproveitou a proximidade da Convenção Geral, e convidou vários pastores que já estavam no Rio para a festividade. Políticos também se fizeram presentes prestigiando o líder carioca. Todos devem ter se impressionado com o ritmo acelerados dos trabalhos e mobilização dos crentes no projeto de construção.

Nas memórias dos membros, há relatos das grande dificuldades financeiras para a fase de acabamento da obra, mas também, da providência divina. Os vitrais, por exemplo, deveriam ter sido colocados por um vidraceiro francês. Mas a compra e instalação dos vidros eram caras demais. Contudo, um membro da igreja doou sua mão de obra especializada para o serviço.

Para ajudar na colocação dos vidros, o Comandante do Corpo de Bombeiros cedeu à escada da corporação. Andaimes eram montados e desmontados a todo momento para o trabalho do profissional voluntário. Como o vidraceiro só podia trabalhar à noite e a luminosidade era precária, o trabalho foi facilitado por um trem de carga, que ao entardecer ficava parado por muitas horas com os faróis voltados para o santuário. 

Conta-se também, que em busca de água, os irmãos oraram e do porão da igreja jorrou uma fonte. Um milagre necessário para o bom andamento das obras. Não só isso: o amor de muitos crentes que ali trabalharam voluntariamente, oraram e ajudaram de diversas formas para a conclusão das obras.

Mas nem todos viam com bons olhos esse esforço todo. Na versão da história oficial de Madureira, o heroísmo dos seus membros e a providência divina; do outro lado, Macalão sofreria críticas e ataques ao seu ministério. Aguarde!

Fontes:

CABRAL, Davi. Assembleia de Deus: A outra face da história. 3ª ed. Rio de Janeiro: Editora Betel, 2002.

Mensageiro da Paz, 1ª quinzena de abril de 1948.

Mensageiro da Paz, 2ª quinzena de janeiro de 1950.

Diário de Notícias (RJ) 06/04/1951 p.8. ano 76. Acervo digital da Biblioteca Nacional.

Obs: muitos dos detalhes da construção do templo, os leitores podem encontrar em vários sites que reproduziram a antiga página virtual da AD em Madureira. 

Comentários

  1. E hj contemplamos com tristezas como se encontra este ministério,repleto de heresias,como os de separar mulheres ao pastorado,os ferreiras recebendo propinas do petrolão,o chefão maior andando de braços dados com o falso profeta Moon... e por aí vai indo a vaca pro brejo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse senhor só vem aqui para criticar. Todos os comentário desse senhor, aqui no blog e em outros sites que ele se identifica com "Pb"(Isso é alguma coisa importante?) é só críticas. Não respeita a história de ninguém (é só ver como ele ofendeu o pastor Geremias do Couto), não veja esse critério todo com o ministério do belém.

      Steve David Taylor

      Excluir
    2. Steve,falar a verdade agora mudou para criticas? Vc deve ser um desinformado e não tem acompanhado a trajetória da Madureira! Aponte me um erro naquilo que falei acerca deste ministério. Quanto ao Geremias Do Couto, na nossa CGADB não há lugar para calvinistas( Essa aberração doutrinaria),e se tem ,o Senhor se encarregará de expulsar do nosso meio! Nem Deus respeita a história daqueles que se desviam da sua palavra! E Quanto ao Pb.,para mim é uma honra receber isto da parte de Deus,sua opinião pouco importa! É melhor JAIR SE ACOSTUMANDO pq estarei sempre por aqui "protestando" contra os erros no nosso meio,VENHA DE QUEM VIER!

      Excluir
    3. Esse senhor só vem aqui falar bazófia. Nada sabe da história de Madureira, é acostumado a fazer parte da história de alguém, por gentileza respeite aqueles que fizeram a história acontecer. Você sempre vem aqui e se comporta de maneira biltre e empertigada, se enxerga cara. Dê bom testemunho de cristão. Veja seus comentários aqui no blog, tu só escreveste palavras frívolas e desagradáveis.

      Sr. Mario me desculpe pelos meus comentários no teu blog, Deus te abençoe.

      Obrigado,
      Steve David Taylor

      Excluir
  2. O sermão de jesus em joão 6,também foram palavras frívolas e desagradáveis,aos errados da época! Ao ponto de não suportarem sua prédica, chegando a o desconsiderar e o rejeitar ,que pena, o mesmo tá acontecendo com vc! E eu conheço muito bem a história atual dessa Madureira, é um antro de raposas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse cidadão presb.josé roberto da rocha só vive criticando e apontando erros de algunhas pessoas,de outras que ele aprecia ele emudece,nada fala,ele disse que o filho de manoel ferreira o pr.samuel ferreira foi citado em delação da jbs,mas se esquece que o filho de josé wellington bezerra da costa,o pr. e dep.federal paulo freire também foi citado em delação da jbs,mas ele nada fala,o discurso desse presbitero é um discurso hipócrita porque aponta somente os erros dos que não fazem parte do seu meio,no meio onde ele vive na sua óticasão todos imaculados,é óbvio que manoel ferreira errou na sua aliança com o rev.moon,mas se ele se arrependeu Deus já o perdoou.tem homens e mulheres de Deus no ministério de madureira,no ministério do belém(missão)e em outros ministérios assembleianos e em outras denominações.não vejo diferença algunha entre os ferreiras e os bezerra das costa,todos envolvidos com politicos corruptos,inclusive o próprio josé wellington mandou os pastores de sua convenção á votar á favor do arquivamento das denúncias de corrupção contra o presidente michel temer,kd o presbitero josé roberto da rocha que nada falou sobre essas coisas?

      Excluir
    2. KD O ROBERTO ROCHA.?????

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Flagrantes da cerimônia de diplomação dos novos bispos em Madureira

As Assembleias de Deus - títulos e honrarias

Ruptura na CGADB e suas histórias (1ª parte)