segunda-feira, 13 de maio de 2013

Assembleia de Deus e a divisão em Pernambuco

Os estudiosos das Assembleias de Deus sabem que a denominação, ainda que enorme e presente em todo território nacional é fracionada em vários ministérios nem sempre amigos entre si. Um exemplo clássico dessa fragmentação é o ministério de Madureira, o qual devido ao seu expansionismo causou diversas polêmicas entre as lideranças das igrejas da Missão. Desligados da CGADB, hoje Madureira segue realizando seu trabalho sem mais aquelas antigas contestações.

Mas outros casos existem no Brasil a fora. Um dos mais conhecidos é o caso da Assembleia de Deus em Pernambuco. Lá convivem, concorrem e se digladiam os ministérios da AD em Recife e de Abreu e Lima. Mas como a AD no estado pernambuco chegou a esse ponto de possuir dois ministérios antagônicos?

A mensagem pentecostal teria chegado a Pernambuco por intermédio de Adriano Nobre em 1916, porém é com o casal sueco Joel e Signe Carlson que a AD iniciou suas atividades oficiais na capital pernambucana. Da capital se expandiu para o interior e diversas congregações foram abertas, mas sempre sob a supervisão da igreja mãe em Recife. Em 1927, num povoado chamado de Maricota (posteriormente denominado Abreu e Lima) na região de Paulista, a mensagem pentecostal brota e se desenvolve. Sempre sob muitas lutas e perseguições a congregação assembleiana se estabelece e prospera, e após muitas dificuldades inaugura seu templo próprio em 1942.


AD em Abreu e Lima: ministério autônomo em Pernambuco
Na história oficial da AD em Abreu e Lima, há alguns indícios do desejo de independência por parte dessa congregação. No ano de 1953, o pastor João de Paiva, descrito como um senhor sisudo, fechado e limitado em suas funções pastorais devido a sua constante enfermidade (asma), e rigoroso quanto aos usos e costumes das ADs, resolveu dar autonomia jurídica a igreja, sendo conhecida - após esse registro - como Campo de Abreu e Lima. Isso foi feito no dia 15 de outubro de 1953. No dia 13 de novembro, pastor Paiva é destituído do cargo, ou seja, a autonomia não foi reconhecida pelo ministério da AD em Recife.

Teria a atitude do pastor João de Paiva ligações com a crise sucessória da AD em Recife? Pois em setembro do mesmo ano, o pastor José Bezerra da Silva é destituído por questões morais do seu cargo de líder da igreja. O comando interino da igreja ficou sob a responsabilidade do pastor José da Rosa Santos, até a posse de Manuel Messias em 02 de novembro de 1953. No livro histórico da AD em Abreu e Lima, os autores deixam uma pista. Segundo os escritores, pastor Paiva citava sempre o versículo de Provérbios 24. 21: "Teme ao Senhor, filho meu, e não te entremetas com os que buscam mudanças".

Seria  insatisfação com os rumos da denominação? Pelo perfil apresentado é possível que sim. O velho sentimento de "bairrismo", muito comum nas ADs já estava em plena evidência em Abreu e Lima. O certo é que Paiva foi sucedido justamente por José Rosa dos Santos. E foi na sua interinidade como pastor em Recife, que pastor Paiva tentou num gesto unilateral dar autonomia a igreja.

Outro indicio de independência, foi a atitude do novo líder José Rosa dos Santos de adotar o cálice individual na ceia. Censurado pelo ministério do Recife, foi acusando de romper com a "tradição sueca, trazida pelo missionário Joel Carlson" e de sair da "doutrina". Ainda segundo a história oficial, a igreja de Abreu e Lima foi imitada nesse gesto por outras igrejas em Pernambuco. Como conclusão desse rompimento ritualístico e cerimonial assim é dito: "Este fato comprova, de forma vívida e incontestável, a autonomia eclesiástica da Assembleia de Deus em Abreu e Lima em relação a Recife".

Observa-se porém, que a autoproclamada autonomia jurídica, não resultou em independência eclesiástica, pois ao fazer isso o pastor Paiva perdeu seu cargo. A autonomia jurídica somente seria realizada quase três décadas depois com  o pastor Issac Martins Rodrigues. Essa cisão é descrita pelo estudioso Moisés G. de Andrade como uma "divisão branca".

Percebe-se também em tudo isso, a operação historiográfica para legitimar a cisão de Abreu e Lima com o ministério do Recife. Tal operação - intencional e ideológica - como tantas outras, procura na história dar sentido a um conflito agudo entre ministérios concorrentes no presente. Conflito que será em outra postagem melhor abordado.

Fontes:

ANDRADE, Moisés Germano de. "Uma história social" da Assembleia de Deus: a conversão religiosa como forma de ressocializar pessoas oriundas da criminalidade. Dissertação (Mestrado) - Universidade católica de Pernambuco. Pró-reitoria Acadêmica. Curso de Mestrado em Ciências da religião, 2010.

FRESTON, Paul. Breve História do Pentecostalismo. In: ANTONIAZZI, Alberto. Nem anjos nem demônios; interpretações sociológicas do pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1994.

SANTOS, Roberto José. (Org.). Assembleia de Deus em Abreu e Lima - 80 Anos: síntese histórica. Abreu e Lima: FLAMAR, 2008.

23 comentários:

  1. Linda História de fé .guerreiros espirituais.amo à Deus sobre todas as coisas.1 mandamento com justiça de Deus Trino

    ResponderExcluir
  2. Linda História.amo à Deus sobre todas coisas.1 mandamento que Deus deixou pra nós.

    ResponderExcluir
  3. Que Deus em Cristo abençoe ambas lideranças em nosso estado de Pernambuco.

    Infelizmente nossa Igreja Assembléia de Deus em Pernambuco estão divididas como dois times de futebol rivais. Existe duas torcidas em Pernambuco os Azul (Recife) x Verde (Abreu e Lima). Isso é inadmissível mas tolerado forçadamente.

    ResponderExcluir
  4. Relatos como esse faz-me lembrar do conflito entre Paulo e Barnabé, que coisas tão insignificantes acabaram tomando rumos diferentes. Mas o fato é que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados pelo seu decreto. Conflitos como esse a princípio deixa uma impressão ruim, mas contribuem para um maior avanço do Reino de Deus.
    Entendo que essa situação em Pernambuco é totalmente diferente do que aconteceu no Amazonas, a história mostra isso, uma vez que não houve imposição de nada em Pernambuco, mas sim um acordo a respeito de mudanças e independência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UM ACORDO NÉ. NESSE ACORDO ESTÃO INCLUIDAS AS OVELHAS NÉ. ESTÃO NEGOCIANDO AS OVELHAS E AS IGREJAS COMO GRANDES EMPRESAS DE BONS NEGÓCIOS.
      GRANDES LUCROS E RIQUEZAS PARA OS GRANDES PASTORES PRESIDENTES NÉ. ISSO NÃO DEVE SER PECADO POIS NÃO MEU CARO IRMÃO.
      KARLA PEREIRA

      Excluir
    2. Pois é...."acordo"......

      Excluir
  5. ...e diante de Deus como ficam essas coisas? o diabo está ganhando terreno com isso e os líderes alimentando tal conflito. Uns não podem se comunicar com outros sob pena de punição severa, assim como alguns outros que entristeceram na fé e estão distante dos caminhos de Deus. Que o Senhor Deus repreenda esse mal antes que se torne mais grave.

    ResponderExcluir
  6. sou membro da assembléia de Deus-recife ha mais de 32 anos,nunca tomei partido por recife ou abreu e lima apenas tomo partido pelo evangelho, ignoro as ordens e proíbições de ir visitar a assembléia de abreu e lima e qualquer outra denominação, a liberdade que cristo conquistou por mim e para mim me dá autonomia -por DEUS, para assim agir,não me submeto a esse jugo por cargo ou posiçao eclesiástica nenhuma,sou livre em CRISTO e pela constituíção brasileira de ir e vir, não entendo como esses pasatores tem coragem de ensinar aos seus membros que vivam em união se eles vivem desunidos,há me lembrei o que JESUS disse; mateus.23;1----12. leiam meditem e reflitam.que DEUS tenha compaixão e misericórdia de todos nós seus servos impefeitos,
    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diz que és membro da igreja em Recife mas teu linguajar te denuncia que es membro da convenção em Abreu e lime RsRsRs.

      Excluir
    2. sou menbro de recife, temos que ver como essa palavra e esposta, quando falamos pra nosssos filho pra não ir pra algum lugar , não falamos como fossemos donos deles e sim con o cuidado sabendo que certos lugares não sou o melhor para eles, temos que ser subomisso ao nossos lideres ( roman 13)

      Excluir
  7. não era para ter divisão entre as igreja assembleia de Deus , e sim um conjunto ligado ao mesmo presidente nacional, para que haja paz entre o povo de Deus e não haja nenhum briga por causa de ministério; Madureira, a abreu e lima, o recife entre outras no brasil e sim um único nome assembleia de Deus ministério belem sou isso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Divisão só não existir no céu mas aqui na terra sempre haverá pois os seres humanos são complexo. Se a liderança em Abreu e lima fosse tão inocente se fazendo de vítima como é visível difamando a liderança com sede no Recife não teriam tomado a iniciativa de se dividirem ficando independente, se assim fizeram que sigam divididos como assim escolheram. Outro sim o que você entende de ministério Belém? estai se referindo ao ministério em Belém do Pará? ou ao ministério em Belenzinho em São Paulo? ais igrejas com suas convenções estaduais são autônimas, o presidente da CGADB NÃO DETERMINA NADA, ALIAS EU NÃO VEJO NENHUMA SERVENTIA DA CGADB ACHO QUE SO SERVE PARA REUNIR OS PASTORES VAIDOSOS PARA BRIGAREM POR CARGOS NUNHA VERDADEIRA POLITICAGEM.

      Excluir
  8. desde do inicio assembleia de Deus teve uma certa briga, por causa dos poderes por causa dos lideres mais não era para ter isso ,e sim um conjuto entres todos os pastores brasileiro e assembleiano de se volta o inicio da historia de 1910 assembleia de Deus belem em todos pais esse era para ser o nomes da igreja até hoje e não assembleia A,B C.D .E ...... PORQUE ESTÁ ESCRITO QUE TÃO BOM QUE OS IRMAO VIVA EM UNIÃO MAIS HOJE VIVE EM BRIGA DE NOMES NAS PLACAS DE SUAS IGREJAS ESTÃO DEFENDENDO PLACA DE MINISTEIRO TODAS AS ASSEMBLEIA É PRA SER BELEM EM TODO BRASIL

    ResponderExcluir
  9. Sempre parcial, Sr. Mario Sérgio basta ver suas fontes.......

    ResponderExcluir
  10. isso é lamentavel uns é de apolo outros de paulo kkk eu sou de cristo meu DEUS praque isso se no ceu estaremos em conjunto
    ou vai ser dividido tambem?

    ResponderExcluir
  11. apoiado meu querido irmão, somos um só povo no céu não haverá divisão de povos vamos todos cantar em um lindo coral, Adorando a um só Deus.

    ResponderExcluir
  12. Eu sou do miniterio goiana por que eu ja fui do miniterio recife la eles nao dao oportunidade a todos nem todo mundo entra em grupo eu quando estava la eu me sentia excluido daquele grupo eu pergunto por que voces sao preconceituisos

    ResponderExcluir
  13. Como vi um comentário de um irmão sobre essas divisões, somos todos ramos. O único tronco verdadeiro é CRISTO, a videira verdadeira, todos os demais são ramos. Só ramos, que darão frutos se permanecerem ligados Nele.

    ResponderExcluir
  14. meus irmão olhemos pra jesus autor e conssumador da nossa fé, não podemos olhar para essas coisas, que vai sempre existir, quanto a divisão DEUS não se agrada de divisão, mais tb orienta a esta sempre em concordacia ( DEUT 36.6)AS TRIBOS de israel cada uma tinha os seus contumes e não poderia se misturar mesmo sendo um só povo um só DEUS, temos que intender que se possivel seguimos a paz com todos , isso não depende só de nós , fassamos nossa parte, quanto a oportunidade nais igreja temos que rever nossos conseitos , pois o autar de DEUS e santo tem muita gente profanando os pupitos, vc deixaria qualquer pessos entra na sua casa??? mesmos falando e e crista ??? mais vamos olhar somente para jesus,

    ResponderExcluir
  15. vos digo fingimento maligno de santidade religiosa de anbas as partes por causa da raiz de todos os males o sincretismo por parte do clero imitado da babilônia burgusa de laser salariado de preguiça carnalistica de ganha a vida fácil com tagarelice pupital de estarem nos primeiros assentos manipulando e macanizando os inocentes menos favorecidos

    ResponderExcluir
  16. o vento que assopra dos quatro vento da pra

    ResponderExcluir