Os 90 anos da AD em Santa Catarina - Os primeiros líderes/André Bernardino

Em sua primeira década de existência, a Assembleia de Deus em Santa Catarina teve três líderes principais: André Bernardino, Albert Widmer e Jonh Peter Kolenda. Mas na literatura oficial da CPAD, é somente Kolenda que vai ser apresentado como o "primeiro líder oficial" da igreja. É provável, que esse reconhecimento seja dado pelo fato de Kolenda e seus companheiros norte-americanos terem pensando estrategicamente a expansão da obra pentecostal. Vamos ao breve perfil de André Bernardino:

André Bernardino da Silva foi o pioneiro ao trazer a mensagem pentecostal ao povo catarina em março de 1931. A implantação das igrejas em Itajaí, Blumenau, Joinville, São Francisco do Sul, Guaramirim e Imbituba se devem ao ímpeto evangelístico e atendimento do jovem Bernardino.


Na entrevista dada à revista do Jubileu (1981), André contou que trabalhou no estado por 12 anos e que seu substituto foi o Missionário Albert Widmer. Mas não foram 12 anos de liderança, pois nos Mensageiros da Paz publicados em 1936, era Widmer que aparecia como o responsável pela obra em Santa Catarina.

Uma das explicações mais plausíveis para a breve liderança foi a observação de Gunnar Vingren sobre o jovem catarina ao separá-lo para o ministério pastoral: "Não deveria consagrá-lo ao ministério. Você tem muito pouco tempo de conversão e é solteiro, mas devido à falta de obreiros vou separá-lo ao pastorado".

Impetuoso e cheio de ousadia, André Bernardino foi o homem certo para iniciar a igreja, mas no processo de administração não inspirava tanta confiança assim. Seu histórico de vida anterior à conversão aponta para um homem impulsivo e hiperativo, o que pode ter contribuído para o seu afastamento da liderança. Na versão familiar, a liderança do pioneiro foi solapada pelos seus antigos auxiliares em combinação com Widmer. 

Em 1943, uma nota no Mensageiro da Paz, assinada pelos principais obreiros catarinenses informava o desligamento de Bernardino do ministério. Nesse período ele voltou para o Rio de Janeiro. Foi um tempo de fracasso, mas tempos depois, o impetuoso André recomeçou seus trabalhos de evangelista em São Paulo e Brasília, no Distrito Federal.

André Bernardino da Silva faleceu em 1992.

Fontes:

ADAMI, Saulo; SILVA, Osmar José da. André Bernardino da Silva: pioneiro da Assembleia de Deus em Santa Catarina. Blumenau: Nova Letra, 2011.

ARAÚJO, Isael. Dicionário do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007

LOUREIRO, Satyro (et al.). 1931-1981 50 anos: o jubileu de ouro das Assembleias de Deus em Santa Catarina e sudoeste do Paraná. Itajaí: Maracolor, 1981.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

IADJ - novos rumos ou extinção de uma igreja?

O caso Jimmy Swaggart - 30 anos depois

A recontagem dos votos na CGADB de 1983