Inauguração do templo sede da IEADJO

Na manhã do dia 15 maio de 1988, com a presença de autoridades civis e eclesiásticas, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Joinville (IEADJO), comemorou com grande entusiasmo, a inauguração do seu atual templo sede, localizado na Avenida Getúlio Vargas, 463; uma das principais vias da cidade.

Presente no município de Joinville desde 1933, o primeiro templo sede da IEADJO foi erguido sob à liderança do missionário estadunidense Virgil Frank Smith e inaugurado no dia 20 de junho de 1943. Mas com o crescimento constante da cidade, e paralelamente da igreja, o templo construído por Smith logo ficou limitado.

No pastorado de Antonieto Grangeiro (1957-1967), houve a ampliação e remodelação da obra e no tempo do pastor Artur Montanha (1967-1972), projetos para um novo edifício eram analisados. O sucessor de Montanha, o pastor Liosés Domiciano (1972-1978), também tinha planos nesse sentido, mas queria construir o novo templo em outro local.


Templo da IEADJO inaugurado em 1988

Ao assumir à presidência da IEADJO em 1978, o veterano pastor Satyro Loureiro, que já tinha liderado a igreja por alguns anos na década de 1950, e conhecia muito bem a membresia, resolveu enfrentar o desafio de iniciar a obra da nova casa de oração.

Em meados de 1984, após quatro décadas de história, o antigo templo foi demolido. No ano seguinte, a pedra fundamental da nova construção foi lançada. Após três anos de constantes esforços, com a doação de milhares de horas de trabalho voluntário por parte dos membros, a IEADJO inaugurou seu atual templo sede em maio de 1988.

Virgil Smith e Satyro Loureiro enfrentaram, cada um ao seu tempo, circunstâncias de crise. Smith iniciou a construção do primeiro templo no período da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando faltava materiais para construção, além da enorme carestia de preços no país. Satyro, por sua vez, enfrentou dificuldades em administrar as finanças da IEADJO em plena década de 1980, a chamada "década perdida", devido ao aumento constante da inflação e do custo de vida.

Meses antes da inauguração, Loureiro enfrentou outra crise; essa de natureza eclesiástica: membros e obreiros conhecidos e de famílias tradicionais da IEADJO deixaram a igreja para formar outra igreja de caráter mais liberal. Entre eles, familiares do próprio Satyro e do seu antecessor, o saudoso pastor Liosés Domiciano.

Porém, superadas os desafios de toda ordem, Satyro, impecável em seu terno branco, conduziu as cerimônias de inauguração do templo revestido externamente de mármore branco e granito. O pastor norte-americano Bernhard Johnson pregou naquela manhã com sua costumeira eloquência e o povo lotava a nave da igreja em todas as noites festivas.

Passada a construção, o veterano líder da IEADJO já pensava em outro projeto: sedimentar a candidatura de um dos seus mais próximos colaboradores para vereador na cidade. Embalado pelos bons resultados dos pentecostais nas eleições gerais de 1986, Satyro agora apostava numa área que ele apreciava: a política.

Fonte:

POMMERENING, Claiton Ivan (Org.). O Reino entre príncipes e princesas: 75 anos de história da Assembléia de Deus em Joinville. Joinville: REFIDIM, 2008.

VIEIRA, Adelor F. (Org.). 1983 - ano do cinqüentenário da Igreja Evangélica Assembléia de Deus Joinville - SC. Joinville: Manchester.

Mensageiro da Paz, 1ª Quinzena de Agosto de 1943 - Rio de Janeiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Flagrantes da cerimônia de diplomação dos novos bispos em Madureira

As Assembleias de Deus - títulos e honrarias

Ruptura na CGADB e suas histórias (1ª parte)