sábado, 15 de julho de 2017

Ministério de Madureira - a gênese em Bangu

Madureira, um dos Ministérios mais conhecidos e polêmicos das Assembleias de Deus no Brasil, fundado pelo mítico pastor Paulo Leivas Macalão, curiosamente teve sua origem em outro bairro da periferia da cidade do Rio de Janeiro: Bangu.

Segundo alguns pesquisadores, Macalão, "censurado e incompreendido" e sentindo-se sem espaço na nascente e promissora igreja carioca surgida no bairro de São Cristóvão, Zona Norte, em 1924, partiu para evangelizar as áreas afastadas do centro do Rio. A história mostrou que nessa missão, o jovem obreiro foi extremamente competente e exitoso.

Antiga sede do Governo Imperial e próximo ao centro da cidade, São Cristóvão, na época em que a AD ali foi implantada no Rio, reunia a maior parte das industrias da cidade e concentrava quarteis e instalações militares. Tal era a importância estratégica da nova congregação, que Gunnar Vingren deixou o pastorado da igreja em Belém do Pará com objetivo de consolidar o trabalho pentecostal em terras cariocas. 

Por isso, a decisão do moço pareceu "precipitada" para muitos. Localizado entre os enormes maciços da Pedra Branca e do Medanha, Bangu era uma região isolada geograficamente. Não sem razão, o pastor Alípio da Silva em 1954, no Mensageiro da Paz, descreveu o esforço de Macalão "trilhando estradas pedregosas e hostis".

Inauguração do templo da AD em Bangu em 1933






















Deixar São Cristóvão, e aventurar-se naquela localidade de difícil acesso, percorrendo longas distâncias e com grandes fazendas, não seria aconselhável naqueles épicos dias. Anda mais para um rapaz de classe média, boa educação e de família militar.

Mas, suportando o tradicional calor da região, observando o contraste entre os ricos sitiantes e os moradores do pobres casebres, o futuro pastor, munido do seu violino "alteraria profundamente o perfil da igreja do Rio de Janeiro"  destacou com razão o pastor e historiador André Luiz.

Porém, nesse tempo, o cenário do bairro se transformaria. Sede da Companhia Progresso Industrial de Brasil (Fábrica Bangu) e contando com o Bangu Atlético Clube em plena atividade, a área verde cederia lugar rapidamente à concentração urbana. Os moradores da vila operária, construída pela principal empresa da região e a vinda de trabalhadores de outras partes da cidade, eram alvos do constante esforço evangelístico de Macalão.

Assim, em 1926, iniciava a "grande arrancada evangelística" do pastor Paulo por toda a região de Realengo, Bangu, Campo Grande, Santa Cruz e Marechal Hermes. No dia 1º de janeiro de 1933, o "incompreendido" auxiliar em São Cristóvão inaugurou o primeiro templo de alvenaria construído no antigo Distrito Federal.

Não seria a primeira e nem a última vez, que o gaúcho faria história no pentecostalismo no Rio de Janeiro e no Brasil. Os planos de expansão eram grandes e pouco mais de um ano antes da inauguração do templo em Bangu, mais precisamente no dia 15 de novembro de 1929, Macalão iniciaria o trabalho da congregação no bairro Madureira, na Zona Norte.

Logo, a nova igreja teria grande importância entre as ADs cariocas. E seria conhecida em todo o Brasil. Benção para alguns, desconforto para outros.

Fontes:

acervo.oglobo.globo.com

ARAÚJO, Isael de. Dicionário do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.

DANIEL, Silas. História da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.

LUIZ, André. História da Assembleia de Deus em Bangu – 2006 – Edição do Autor.

Mensageiro da Paz, 1ª semana de julho de 1954.

5 comentários:

  1. E que agora infelizmente,encontra se em péssimas mãos! Quem quer servi a Deus de verdade,não ficam sobre a direção dos Ferreiras. A minha bíblia diz que se um cego guiar outro cego,ambos cairão no abismo! Não tem essa, de pastores cegos guiarem as ovelhas e no final ele cair no buraco, e as ovelhas que eram guiadas por ele,serem salvas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tem muitos crentes da Assembleia de Deus ministério de madureira que nem sabe que manoel ferreira existe,como também tem muitos crentes da Assembleia de Deus ministério do belém que nem sabe que josé wellington existe,portanto eles não guiam nada,os crentes fiéis á Deus da AD madureira estão salvas,não vão para o inferno como afirma o pb.josé roberto da rocha.

      Excluir
  2. Lamentável o que ocorre em Madureira estando nas mãos da família ferreira que se sucede e domina com mão de ferro e que mais parece com a família de Dom Corleone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como tambem o ministerio do belem esta nas maos da familia bezerra da costa desde a decada de 80,embora tenha eleicoes na cgadb no min.belem nao tem,manoel ferreira e presidente vitalicio da conamad e do ministerio de madureira,jose wellington foi presidente da cgadb por muitos anos,recentemente seu filho foi eleito presidente da cgadb,mas no ministerio do belem ele continua como presidente,isso e vitalicio embora nao admitam.

      Excluir