sábado, 12 de março de 2016

Os 85 anos da AD em Itajaí - o pioneiro

Há 85 anos, nascia em Itajaí a Assembleia de Deus em Santa Catarina. A obra, pioneira do movimento pentecostal no estado, seria fundada por um jovem de vida atribulada, que aportou na cidade litorânea para tornar-se um destemido desbravador do evangelho em terras catarinenses.

Nascido no distrito de Ilhota (interior de Itajaí), André Bernardino da Silva foi fruto do relacionamento extraconjugal de Bernardino José da Silva, dono de uma extensa área de terra, com uma jovem empregada. Sua mãe, após seu nascimento, convenientemente foi afastada da família com a criança e mudou-se para Niterói (RJ). 


Pioneiro da AD em Santa Catarina

Aos 10 anos de idade, Bernardino voltou à sua terra natal para conviver com seus irmãos por parte de pai, filhos da união de Bernardino José com sua falecida esposa e do seu segundo casamento. Com uma família numerosa, as brigas entre os irmãos eram constantes. Por ter sido criado longe da casa paterna e nascido de um relacionamento ilegítimo, o menino “André sempre levava a pior”. Como solução para os conflitos familiares, o pai resolveu matriculá-lo na Escola de Marinheiros em Florianópolis. 

Mas de nada adiantou a solução para o garoto rebelde. Da Escola de Marinheiros, André fugiu para o Rio de Janeiro. Internado no Colégio Marista de Niterói pela mãe, o catarina envolveu-se intensamente na vida boêmia no Rio e adoeceu gravemente. Nessa condição, conseguiu abrigo no navio-albergue Boa Vista, ancorado no porto do Rio de Janeiro. 

Um amigo marinheiro entrou em contato com uma senhora crente, que vendo a triste situação do jovem, orou por ele. Certo dia, o próprio pastor da solidária irmã apareceu para visitar o enfermo. Era Gunnar Vingren e sua esposa Frida acompanhados do missionário Daniel Berg e de Paulo Leivas Macalão. Diante do precário estado de saúde de André, os visitantes oraram por ele e a cura foi instantaneamente. 

Num gesto de solidariedade retiraram Bernadino do local e o abrigaram na igreja. Como era comum naqueles dias, o discipulado do novo convertido foi rápido, e André começou a cooperar na igreja do Rio de Janeiro. Talentoso músico, logo começou a colaborar na igreja de São Cristóvão, onde na convivência com os pioneiros pentecostais forjou seus conhecimentos básicos para o trabalho de evangelista que iria realizar.

Após meses no Rio, pregando e auxiliando na área musical, voltou a sua terra natal para evangelizá-la. Seu retorno a Santa Catarina ocorreu em março de 1931. Todos já sabiam que o filho rebelde voltava agora como herege “que havia abandonado o catolicismo”. A presença do ex-boêmio com sua "nova religião" trouxe muita curiosidade para todos.

Na casa de uma tia com a presença de duas primas, André iniciou a divulgação da mensagem pentecostal. Posteriormente, uma anciã ofereceu sua humilde casa para o primeiro culto oficial da AD em Santa Catarina no dia 15 de março de 1931. A primeira mensagem pregada foi em Marcos capítulo 16, e logo ocorreram as primeiras conversões.

Assim começava a AD catarinense. Seus primeiros dias seriam marcados pelas intensas perseguições aos crentes, e pelo dinamismo de André Bernardino em abrir novas frentes de trabalho. Capítulos de uma interessante história que o leitor acompanhará nesse blog.

Fontes:

ADAMI, Saulo; SILVA, Osmar José da. André Bernardino da Silva: pioneiro da Assembleia de Deus em Santa Catarina. Blumenau: Nova Letra, 2011.


ARAÚJO, Isael. Dicionário do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007

LOUREIRO, Satyro (et al.). 1931-1981 50 anos: o jubileu de ouro das Assembleias de Deus em Santa Catarina e sudoeste do Paraná. Itajaí: Maracolor, 1981.

Nenhum comentário:

Postar um comentário