terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Marina - a "católica mais assembleiana do Brasil"

Marina dos Santos Correa transita no meio assembleiano com muita desenvoltura. Acadêmicos e pastores como Gedeon Alencar, Maxwell Fajardo, Valdinei Gandra, Fernando Albano e Claiton Pommerening, Carlos Roberto da AD em Cubatão e presidente da Comadespe e Isael de Araújo da CPAD entre outros estão na sua lista de amigos

Mineira da pequena cidade de Carlos Chagas (MG), foi em São Paulo que construiu família e a carreira acadêmica. Com formação na área do Direito, curiosa e amante de novos desafios, as ADs chamaram sua atenção devida à militância dos seus membros, ações sociais, exposição midiática e estrutura administrativa. Percebeu nesse gigantismo denominacional uma excelente oportunidade para novas pesquisas e novidades. 

Após duas pós-graduações (em Direito e Ensino Religioso), lançou-se ao mestrado em Ciências da Religião com a tese "Alterações das características da AD no Bom Retiro", onde analisou o Ministério liderado na época pelo pastor Jabes Alencar. Em sua introdução, a pesquisadora revela que "A presente pesquisa é fruto de constantes inquietações sobre como a igreja se transforma frente à renovação do ambiente e de seus fiéis, bem como de sua época."

Marina: entusiasmo pelas ADs 

Ao estudar essas transformações na AD do bairro paulistano e o "rompimento com suas origens filósofo-teológicas", considerou: "Hoje, parece não ser mais o fiel quem se adapta aos moldes da igreja, mas a igreja quem se adapta aos perfis de seus fiéis." Uma verdadeira realidade dentro da maior parte das igrejas evangélicas do país.

Tempos depois, Marina concluiu seu doutorado defendendo a tese "A operação do carisma e o exercício do poder: a lógica dos ministérios das igrejas Assembleias de Deus no Brasil". Na pesquisa, Correa "expõe as origens míticas", a história das ADs, bem como sua "lógica de funcionamento" e expansão. Causou polêmica em sua pesquisa ao comparar - com forte argumentação jurídica - o funcionamento atual das ADs, principalmente as igrejas das regiões metropolitanas, ao sistema de franquias. A tese virou livro editado pela Fonte Editorial em 2013.

Mesmo concluído o doutorado Marina Correa não parou de estudar as ADs. Segue agora em novo projeto pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Nesse pós-doutorado em fase de andamento, o desafio agora é compreender as relações entre o processo de profissionalização pastoral com as sucessões familiares e a política partidária.

É uma pesquisa de fôlego, onde com certeza trará muitas novidades à historiografia assembleiana, e discussões sobre perpetuação do poder eclesiástico e político das famílias pastorais. De certa forma será exposto algumas facetas da elite dirigente das ADs.

Mas há uma ironia em todo esse percusso acadêmico bem sucedido. Marina não é assembleiana, muito menos evangélica de outra denominação. Parece contraditório, mas uma das maiores referências sobre as ADs na atualidade é católica praticante. Talvez por isso seu extremo cuidado no uso das fontes de pesquisa, e observações inusitadas sobre a denominação da qual não é membro.

Casada com Carlos Alberto Correa e mãe de dois filhos adultos, mais uma sobrinha-filha, a pesquisadora é assessorada praticamente por toda família em suas tarefas. Carlos se dedica a vasculhar sites, blogs e artigos sobre as ADs para subsidiar a esposa. Os rebentos (juntamente com seus cônjuges) acompanham os temas de investigação e auxiliam a mãe nas visitas necessárias ao andamento dos trabalhos acadêmicos.

Nem poderia ser diferente. A alegria e entusiasmo da "católica mais assembleiana" (palavras do sociólogo Gedeon Alencar) do Brasil é um dos grandes diferenciais em seus projetos. Quando maior o desafio, mais Marina mergulha nas estruturas das ADs. A nação assembleiana agradece...

Fontes e bibliografia da autora para consulta:


CORREA, Marina Aparecida Oliveira dos Santos Alteração das Características Tradicionais da Igreja Assembléia de Deus: Um estudo a partir da igreja do bairro Bom Retiro em São Paulo / Marina Aparecida Oliveira dos Santos Correa. -- São Paulo: PUC/SP, 2006.

CORREA, Marina Aparecida Oliveira dos Santos. A operação do carisma e o exercício do poder: a lógica dos ministérios das igrejas Assembleias de Deus no Brasil, Tese de Doutorado em Ciencias da Religião, PUC/SP, 2012.

CORREA, Marina Aparecida Oliveira dos Santos. Assembleia de Deus: Ministérios, carisma e exercício de poder. São Paulo: Fonte Editorial, 2013.

6 comentários:

  1. Marina não só é uma excelente pesquisadora, bem como uma generosa contribuinte aos colegas pesquisadores do fenômeno Pentecostal. Tem somado muito na composição de novos olhares sobre este movimento que cresce de forma permanente, ainda que hoje de forma mais fragmentada. Marina é um expoente na análise das ADs e tem ajudado as recentes pesquisas de forma singular.

    ResponderExcluir
  2. Como pesquisadora como essa acrescenta e enriquece nossos conhecimento sobre a nossa denominação, muito bom gostei.

    ResponderExcluir
  3. Ela foi minha examinadora na banca em Ciências da Religião. Muito me incentivou e tenho comigo seus conselhos e dicas valiosas. Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Desde a primeira vez que encontrei com Marina Corrêa, por conta de uma entrevista, tive muito ótima impressão acerca do seu trabalho e pessoa. Fui tratado com todo respeito e consideração. Desde então passamos a interagir.
    Concordo com o também amigo Gedeon Alencar, quando diz que Marina é a católica mais assembleiana....rsrsr - Realmente ela faz o seu trabalho de pesquisa com as Assembleias de Deus com paixão.
    No ano do Centenário, ela passou uma semana inteira em Belém do Pará, acompanhando todas as comemorações e registrando tudo.
    As naturais divergências e desencontros da nossa história, existem por conta do nosso sistema descentralizado, bem como por conta das dimensões continentais do Brasil, porém, Marina Corrêa, pela sua persistência e coerência, aos poucos vai montando o quebra cabeça. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  5. Pastor Carlos Roberto, Mario Sergio Santana Graça e Paz! Contar com a amizade de vocês assembleianos...rsrs me faz acreditar que estamos quebrando o distanciamento entre “católicos e pentecostais”. Na verdade, todas as vezes que vou a campo pesquisar levo em meu coração: se não consegui êxito na pesquisa, levo comigo mais um amigo. Vou desarmada. Como meu lema é o aprendizado, penso sempre, hoje vou aprender um pouco mais .... Essa é a escola da vida, sem status...mas, pessoas como vocês, Gedeon Alencar, pastor Isael, Fernando Albano, Claiton, David Mesquiati, e tantos mais. Nos últimos anos, depois de várias pesquisas concentradas nesse objeto, para mim, quando leio nas placas, “Assembleia” logo penso, é de Deus...rsrs Tenham a certeza que sou uma das alunas mais esforçada em aprender com vocês. Por que pesquiso as ADs? Não sei, coisa de Deus...como sou uma católica assembleiana, aprendi a orar. Abraços e conto com vocês sempre!

    ResponderExcluir
  6. Posso perceber a honestidade no trabalho da pesquisadora, Dra. Marina dos Santos Correa. Queira Deus que a liderança das Assembleias de Deus, em todos os seus seguimentos, possam ler e compreender, o conteúdo valioso não só da sua Dissertação de Mestrado, como também, a Tese de Doutorado, que só demonstram o quanto as ADs se afastaram do padrão originário pensado e construído por seus pioneiros! Digo isso, não como alguém avesso ao tema, mas, apesar de não ser tão idoso assim, já pude presenciar as múltiplas "fraturas" e "enfermidades" adquiridas pela denominação, por ser um cristão nascido dentro dos arraiais das ADs e, pertencer a uma família tradicional da liderança denominacional! Que possamos nos apropriar deste conhecimento para que o Reino de Deus seja enaltecido enquanto é tempo! Paz!

    ResponderExcluir