sábado, 11 de julho de 2015

Costa x Costa - a luta pela AD no Ceará (1ª parte)

Na década de 1960, a AD no Ceará passou por uma crise sucessória traumática e de desdobramentos catastróficos para a unidade da igreja. Polarizando a forte disputa pelo controle do rebanho, dois líderes regionais de destaque: Emiliano Ferreira da Costa e Luiz Bezerra da Costa, que para ironia da história assinavam com o mesmo sobrenome, mas estavam em trincheiras opostas na luta pelo controle da AD cearense.

Primeiro uma breve biografia dos protagonistas: Emiliano nasceu em 1917 em Natal (RN), em um lar presbiteriano. Em 1932 esteve pela primeira vez no Ceará para trabalhar na construção de rodovias (BR-116 e BR-222), retornando em 1944, e fixando residência em Caracanga (Itaitinga). Filia-se a AD após seu regresso ao Ceará, sendo batizado em águas pelo pastor José Teixeira Rego em 1945. Consta ainda, que Emiliano ao se transferir para Fortaleza começou a auxiliar o pastor José dirigindo a igreja de Bela Vista até o ano de 1958. De Bela Vista seguiu para a cidade de Itapajé, local onde se iniciou a AD cearense.

Luiz nasceu em 1927 em Lacerda, município de Quixeramobim (CE). Em 1943, ainda na adolescência converteu-se na AD em Fortaleza. De família de comerciantes, o jovem Costa avançou nos estudos, formou-se em Direito e ingressou na política sendo eleito deputado estadual por três mandatos. Nessa posição de destaque controlava nomeações de autarquias estaduais, e mantinha negócios imobiliários. Paralelamente, participava com afinco das atividades da igreja. Nesse tempo contraiu núpcias com a única filha (adotiva) do pastor líder da AD em Fortaleza. Sendo separado para o ministério, auxiliou o sogro na AD central e (como Emiliano) dirigiu a congregação de Bela Vista.

Emiliano e Luiz: líderes rivais no Ceará

Em comum entre os dois ministros, além de assinarem com o mesmo sobrenome (Costa), está o fato de terem trabalhado juntos na igreja matriz em Fortaleza com o pastor José Teixeira Rego, e de fazerem parte do mesmo ministério durante muitos anos. Coincidentemente lideraram a mesma igreja (Bela Vista), que era na época uma das principais congregações da AD na capital.

Porém eram de origens sociais diferentes. Emiliano era homem de profissão humilde e segundo notas biográficas foi ao Ceará por inspiração divina (uma visão), e teve uma ascensão ministerial moderada. Começou como auxiliar em 1945, foi separado a presbítero em 1953, e em 1958 pastor. Já Luiz, como se observou, conquistou formação universitária, cargos políticos e uma boa visibilidade social para a época. Sua carreira ministerial, ao contrário do colega Emiliano, foi mais rápida: de presbítero em 1956, Luiz Costa passou rapidamente a evangelista e a pastor. Em 1960, já era vice do seu sogro na AD central e dirigia a congregação de Bela Vista na capital, sucedendo ao seu futuro rival no comando da igreja.

Eram conhecidos e se conheciam no ministério. Duas lideranças que segundo o historiador Ruben Maciel representavam dois tipos de pentecostalismo: o rural (Emiliano), e o urbano (Luiz). Dois obreiros que conviveram longamente com o chamado "apóstolo do Ceará" José Teixeira Rego, mas que desenvolveram um antagonismo que jamais foi superado, e se manifestou ferozmente com a morte do líder da AD no Ceará.

Durante 30 anos, José Teixeira Rego liderou a igreja no Ceará. Quando assumiu o rebanho assembleiano, a denominação era incipiente, perseguida e sectária. Ao morrer, a igreja já era a maior denominação evangélica na região, com uma membresia diversificada, e consequentemente com maiores recursos financeiros, porém com um grupo ainda muito apegado a tradição dos pioneiros. Para Maciel, pastor Teixeira Rego aglutinava essas tendências, conciliava as tensões e sua morte abriu "um vácuo quase que intransponível".

Com o desaparecimento em 1960, do líder mediador, a polarização foi inevitável. Debaixo das asas do pioneiro, Emiliano e Luiz conviveram e construíram suas carreiras ministeriais. Luiz, mais do isso: com o apoio explícito do sogro ingressara na política e se preparava para a sucessão do mesmo, cuja saúde já estava fragilizada. O jovem deputado e pastor Luiz Costa, talvez não contasse para seu infortúnio com a relutante oposição de outro Costa.

Fontes:

ARAÚJO, Isael de. Dicionário do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.

DANIEL, Silas. História da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.


FRANKLIN, Ruben Maciel. A Chama Pentecostal chega à Terra da LuzBreve História das Assembleias de Deus no Estado do Ceará 1914-2014. Pindamonhangaba: IBAD, 2014.

9 comentários:

  1. O Luiz Bezerra da Costa era irmão de sangue do atual presidente d aCGADB pr. José Weligton Bezerra da Costa.

    ResponderExcluir
  2. triste e lamentavel historia um pouco distorcida e tendenciosa incompleta cheia de furos

    ResponderExcluir
  3. Tem falhas nessa postagem.

    ResponderExcluir
  4. Olá meu presado pr. Claudio Pimenta, ontem li esta matéria e achei muito interessante. Historia é historia, e dificilmente narrará os fatos na sua essência, mas eu acredito que o blog muito contribuiu para desmistificar muitas lendas que é contada sobre esses dois heróis d fé. Com a morte do Pr.José Teixeira Rego em 1960 assumiu por direito a presidência da igreja no Ceará o Pr. Luis Costa, visto que era vice presidente do ministério, porem a CGADA o desempoça e coloca um interventor (Armando Chaves Cohen) e só em 1962 é que o Pr. Emiliano é chamado da AD em Itapajé para assumir a presidência do ministério em substituição ao interventor, e em 1963 é que o Pr luis Costa pede emancipação da AD Bela Vista. Forte Abraço, parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  5. Pr. Emiliano adoece com DM. fica internado, sabe quem paga a conta do hospital Pr. Luis Costa eles era irmão em Cristo não era inimigos.

    ResponderExcluir
  6. Em linhas gerais...parabens pelo blog..a tempos procurava algo assim para ler! obrigado!

    ResponderExcluir
  7. Ah ta tinha que ser....

    ResponderExcluir
  8. Olá.. Queria q o dono desse blog se informasse um pouco mais sobre os fatos ocorrido na época para depois expor seus comentário!!!!!!! Tudo que o irmão Evaldo falou é verdade...... e sobre esse anonimo que falou q o Luiz Costa pagou a conta do hospital é mentira viu!!!!!!!! Vcs devem se informar mais sobre a fundação do ministério de bela vista, porq não foi do jeito q vcs falam não, o seu Luiz Costa chegou com a sua gangue e tomou a igreja na bala!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Deixo aqui meu e-mail: paulao_costa@hotmail.com para o dono desse blog saber mais um pouco dessa historia pois tenho pessoas q estavam lá no dia em que a gangue do luiz costa foi pra tomar a igreja!!!!!!!!

    ResponderExcluir