quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Bibi: memória viva da AD em Joinville

Memórias das Assembleias de Deus homenageia o irmão Marcílio de Miranda, carinhosamente conhecido como "Bibi". Aos 86 anos de vida (completados no último dia 27/07), Bibi é um dos filhos do pioneiro das ADs em Santa Catarina, Manoel Germano de Miranda. Segundo filho de uma prole de oito (dos seus irmãos mais quatro estão vivas), a vida desse ancião se confunde com a própria história da igreja.

Quando seu pai fundou a AD em Joinville, Bibi contava com 5 anos de idade, e é hoje um últimos remanescentes do pequeno grupo de fieis que iniciaram a obra pentecostal na cidade. Na mudança, lá estava ele na carroça com mais três irmãos, a qual seu pai emprestou do cunhado Pedro Vargas para ir de Itajaí até Joinville. Carroça essa que sacolejava numa longa e cansativa viagem na estrada empoeirada. A família Miranda, levava somente roupas pessoais e de cama na mudança, mas carregava a fé e a esperança de realizar uma grande obra.

Bibi e os filhos: oito décadas de memórias assembleianas

Bibi passou parte de sua infância e adolescência acompanhando o desenvolvimento da pequena AD na cidade. De suas lembranças, se destacam as perseguições dos primeiros tempos, o trabalho incansável do seu pai na evangelização da toda região, a qual fazia de pé, trem ou bicicleta. Bibi possui muitas memórias das primeiras casas alugadas para realização dos cultos na cidade. Quando seu pai foi transferido para a cidade de Mafra, e o missionário estadunidense Virgil Smith assumiu o trabalho, Bibi ficou morando com Smith, e aprendeu música com ele para depois ajudar o pai na nova igreja que dirigia.

Smith, após assumir a igreja, resolveu construir um templo próprio para a denominação. Para a época era um construção enorme, onde muitos recursos materiais e humanos foram necessários. Pois nesse tempo, lá na década de 40, estava o jovem Miranda ajudando a descarregar carroças com tijolos. Mas pelo jeito não foi uma experiência muito boa:
...E nesse ínterim que eu fiquei seis meses na casa do missionário para aprender música eu ajudava esporadicamente assim a descarregar carroças de tijolos, várias vezes. Aqueles tijolos ficavam na carroça na rua e ficava uma pessoa mais ali  e outra mais lá, e mais lá. E ia passando aqueles tijolos, jogando! Inclusive caiu um em cima do meu dedão do pé que eu passei mal. Cai no pé e eu já desisti do trabalho, desisti do trabalho...
Viúvo e alfaiate de profissão, Bibi vive modestamente em Joinville, cercado de amigos, parentes, e das memórias dos seus longos dias. Este simpático senhor de espírito jovem e sorriso tímido, é de uma geração de filhos de pioneiros que não galgaram status na denominação ou se apoderaram de uma igreja ou ministério. Sua maior riqueza são os filhos que lhe cercam e o reconhecimento de ser um humilde servo de Deus. É a história e memória viva de uma denominação que já conta com 80 anos. 

Parabéns irmão Bibi!

Obs: na foto juntamente com Bibi seus filhos Marli (sentada à esquerda), Marlon, Marcos, Márcio e Marlei (à direita) do velho pai. Colaboração Eliane Westphal Nunes, sobrinha do homenageado e neta do pastor Miranda.

Fontes:

Miranda, Marcílio. 20 de agosto de 2008. Entrevista concedida a Claiton Ivan Pommerening e Mario Sérgio de Santana.


POMMERENING, Claiton Ivan (Org.). O Reino entre príncipes e princesas: 75 anos de história da Assembléia de Deus em Joinville. Joinville: REFIDIM, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário