quarta-feira, 2 de maio de 2012

A Assembléia de Deus de Perus e a cisão Madureira /CGADB


Por Maxwell Fajardo *

O Ministério de Perus é atualmente um dos ramos da Assembléia de Deus que mais tem aberto congregações em diferentes locais do país. O Ministério conta atualmente com cerca de 1100 congregações espalhadas por 23 estados do Brasil e mais 17 outros países.

Com sede no bairro de Perus, periferia de São Paulo, o Ministério completará em 2012 seu 66º aniversário de fundação. Apesar do grande número de congregações e abrangência no território nacional, o Ministério de Perus nunca recebeu grande atenção na historiografia oficial assembleiana, embora o nome de seu fundador, Benjamin Felipe Rodrigues tenha aparecido com veemência durante os debates convencionais da 1ª Assembléia Geral Extraordinária da CGADB em 1989, quando os pastores e evangelistas do Ministério de Madureira foram desligados da Convenção Geral.

O Pr. Benjamin assumiu a igreja na região de Perus em 1950. Na época de sua chegada, a igreja resumia-se a um pequeno salão onde se reuniam não mais que duas dezenas de pessoas. O trabalho era uma congregação do Campo de Madureira em São Caetano do Sul.

Pr. Benjamim (à esquerda): líder da AD ministério de Perus


A partir da atuação de Benjamin a igreja expandiu-se no bairro e novas congregações foram abertas, recebendo por parte do Ministério de Madureira a autonomia de campo em 1959. Além de estender-se pelo bairro, a expansão do Campo de Perus alcançou as cidades vizinhas de Franco da Rocha, Francisco Morato, Mairiporã, Caieiras e Campo Limpo Paulista, não demorando chegar a cidades do interior de São Paulo e outros estados, começando pelo Paraná e Mato Grosso do Sul.

Na década de 1980 o Campo de Perus entrou nos debates convencionais da CGADB a partir de mais um dos já antigos debates sobre a “invasão de campos eclesiásticos”. O debate começou a partir da abertura de uma congregação por parte do Campo de Perus na cidade de Cuiabá, região onde atualmente está um dos maiores templos do Ministério do Belém no Brasil. A abertura da igreja em Cuiabá veio como uma gota d’água nas já tumultuadas relações do Ministério de Madureira com a CGADB, motivando inclusive a convocação da 1ª Assembléia Geral Extraordinária da Entidade, quando o Pr. Benjamin foi descredenciado dos quadros da Convenção (Daniel, 2004: 527).

O Ministério de Madureira demonstrou solidariedade ao Pr. Benjamin, provocando a reação da Mesa Diretora com o desligamento dos ministros de Madureira do quadros da Convenção, provocando a primeira grande cisão na história da Assembléia de Deus brasileira.

Mesmo após a cisão, Pr. Benjamin não parou de abrir novas igrejas em diferentes cidades brasileiras. Presidiu o Campo de Perus até 2002, quando faleceu após uma longa luta contra diversos problemas de saúde. Foi substituído por seu vice-presidente, Pr. Elias Cardoso, que permanece até hoje à frente da igreja.

O Campo de Perus continuou ligado ao Ministério de Madureira até 2006, quando, criou sua própria Convenção, passando a denominar-se Ministério de Perus.

* Maxwell Fajardo é Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo. Doutorando em História pela UNESP. Professor de história na rede pública municipal de São Paulo. Ministro do Evangelho e professor da Escola Bíblica Dominical na Igreja Assembléia de Deus.

Referências: 
                             
DANIEL, Silas. História da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil. Rio de Jaeiro: CPAD, 2004

FAJARDO, Maxwell Pinheiro. Pentecostais, migração e redes religiosas na periferia de São Paulo: um estudo do bairro de Perus. Dissertação de Mestrado em Ciências da Religião. Universidade Metodista de São Paulo: São Bernardo do Campo, 2011

Conselho Nacional de Missões da Assembléia de Deus Ministério de Perus: http://www.conampe.com.br . Acesso em 1º Maio de 2012

32 comentários:

  1. cade a lealdade da ad perus a madureira??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oficialmente não aconteceu um desligamento formal de Perus com relação a Madureira, embora todos os vínculos convencionais tenham sido quebrados com a criação da Convenção própria. A cisão aconteceu a partir de discordâncias de Perus com relação à Madureira (um pequeno exemplo é a consagração do presidente da CONAMAD ao cargo de bispo).
      No entanto, para além das divergências doutrinárias e administrativas acredito que a atitude da AD Perus reflete uma tendência maior da AD como um todo de fugir ao esquema institucional único, ampliando sua multiplicidade e pluralidade...

      Excluir
    2. AD Perus é um Ministériosem transparência nenhuma, onde já se viu cobrar taxas tão altas nas EBFO , umas das causas do desligamento de Madureira foi esta, não poderia cobrar estas (que da um bom dinheiro) se ainda estivesse ligado com Madureira, tudo ja estava programado, Perus esperto heim?........

      Excluir
  2. Boa Ministerio Perus, Bras ta por fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a igreja do senhor ela e invisível DEUS naõ esta atrás de campo ou ministério que se destaque esta naõ e assembleia de DEUS mas sim uma briga por posição ,DEUS naõ esta no meio desta pouca vergonha preguem o evangelho ganhem almas para o reino de DEUS serus carnais mercenários onde esta a assembleia de DEUS que Daniel Berg e gunarvigrin deixaram esta inxada na vinda de cristo vai ter muita surpresa naõ existe ministério de perus ministério de Madureira nem cgadb mas uma igreja copmprada e lavada no sangue do codeiro que e ela ?

      Excluir
  3. O PR BENJAMIM NÃO FOI DESLIGADO. PEDIU DESLIGAMENTO. PARA NÃO FICAR FEIO, A CONVENÇÃO CONTOU COMO FOI DESLIGADO, TODAVIA O ANUARIO DAS CONVENÇÕES REFLETE EXATAMENTE A QUEDA DE BRAÇOS, ENTRE MADUREIRA E CGADB PELO PODER. LUTA ESTA QUE PERUS NÃO ACEITOU FAZER PARTE. ALIÁS, PERUS NUNCA DISPUTOU CARGOS CONVENCIONAIS NA SUA HISTÓRIA, PREFERINDO SEMPRE CONCORDAR COM AS LIDERANÇAS E INVESTIR NA OBRA MISSIONARIA. O QUE DE CERTO PARA A GLÓRIA DE DEUS. OUTROSSIM. PERUS É AUTONOMO DESDE A SUA FUNDAÇÃO ESTATUTÁRIA EM1.959. APESAR DE TER SIDO FUNDADO EM 1947, TORNOU-SE MINISTÉRIO EM 2001, E IMPLANTOU SUA CONVENÇÃO EM 2006, TAMBÉM NÃO FOI POR DISCORDAR COM A CRIAÇÃO DO CARGO DE BISPO. MAS POR DISCORDAR COM O DESVIRTUAMENTO DOUTRINARIO QUE OS ASSEMBLEIANOS QUE CONSTRUIRAM A MAIOR DENOMINAÇÃO DO PAIS SEMPRE DEFENDERAM. COM A AMERICANIZAÇÃO DA IGREJA, PERUS ACHOU POR BEM ANDAR SÓ. E TEM DADO CERTO PARA GLORIA DE DEUS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimas considerações, anônimo!

      A questão sobre o desligamento ou pedido de desligamento do Pr. Benjamin é ótima para refletirmos sobre a forma como a história oficial é contada e registrada, em contraposição a outros pontos de vista e à outras informações referentes aos mesmos acontecimentos.
      Com relação à participação de Perus na CGADB, de fato, mesmo na assembleia convencional de 1983, em que Manoel Ferreira foi presidente em uma chapa composta por mais de uma dúzia de membros de Madureira, não há nenhum pastor de Perus.
      Concordo com o fato de que a consagração de Manoel Ferreira à bispo não foi o fator preponderante para a cisão. No entanto, como eu disse no comentário anterior, este é um pequeno exemplo (sim, pequeno e não único) que serve para ilustrar as diferenças entre Perus e Madureira, embora seja esta apenas uma entre tantas outras questões.
      Também é importante lembrar que existem ainda outros campos eclesiásticos com autonomia administrativa (mesmo sistema adotado por Perus entre 1959 e 2001) que ainda são vinculados à CONAMAD, como o campo do Taboão em São Bernardo do Campo e o de Vila Alpina em São Paulo, entre outros exemplos. No entanto, assim como Perus, o Ministério de Santo Amaro (então campo autônomo) também desvinculou-se de Madureira na mesma época (por volta de 2001).
      Também achei importante destacar que o afastamento começou a processar-se em 2001, concretizando-se com a criação da convenção própria em 2006.
      De qualquer forma, fico imensamente feliz por seu comentário e pelo interesse em dialogar sobre estas questões.

      Forte abraço.
      Visite-nos também em www.maxfajardo.blogspot.com.br

      Excluir
  4. Meus queridos, sei verdadeiramente o que aconteceu com Perus em relacao a Madureira. Perus foi desligado Madureira em 2005, cujo Pr. Elias ja era o presidente sendo que partiu dele proprio esta decisao.Procure saber realmente o que aconteceu, quando Pr. Benjamim ainda com vida no quarto do hospital ,quantos carniceiros estava aguardando a morte do Pr. Benjamin para se tornarem Pres. do entao Minist. Perus. Pr. Elias que cuidava somente da docunentacao do Min. Perus ( congregava na epoca vila Santa Maria) em uma visita ao Pr Benjamin convenceu de que ele(Pr.Elias) seria o mais preparado para assumir a presidencia numa decisao forcada pelo Pr Elias, nao fazendo nem uma reuniao com a diretoria da epoca, na houve empossamento nenhum apenas o Pr. Elias assumiu do jeito dele. Mais alguns anos em 2005 Perus se rebelaria de Madureira.Preste bem atencao hoje a familia do Pr. Benjamim ( Pr. Jose Silva e familia, ou mesmo o proprio filho Pr. Benjamin) estao esquecidos. procure meu amado irmao ou membros do Min.Perus saber a verdadeira historia.deixo minha pergunta. QUEM EMPOSSOU Pr.ELIAS?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmâ Mariana, você não parece ser membro do ministério da AD Perus, estou há 50 anos neste ministério e sei perfeitamente que os fatos não são da forma como você descreveu, procure conhecer a história real desse abençoado ministério antes de postar inverdades.

      Excluir
    2. ... Pois é! Uma decisão tão importante quanto a substituição na presidência e o ministério local nem sequer foi consultado!!!???? Ser obreiro para que? apenas para concordar com as determinações dos ditadores? Não dá para aceitar. Não dá mesmo. Isso é pior do que engolir gato de ré!!!!!!

      Excluir
  5. tanto Madureira como perus e belem são igreja do senhor e na bíblia sagrada não tem nomes de igrejas eu acredito que Deus trabalha a onde tem compromisso com ele e com apalavra não com doutrinas que os homens impõe aos fieis da igreja Creio que todo aquele que estiver com o coração ligado ao senhor Jesus cristo e crer e for batizado sera salvo mas tem que crer primeira mente não nas doutrinas e costumes os três ministérios são do senhor jesus cristo então eu gosto deles e não vejo diferença nenhuma

    ResponderExcluir
  6. PARECE QUE A IRMÃ CONHECE A FUNDO PERUS, A PONTO DE DECIFRAR OS BASTIDORES DE UM HOSPITAL E SUA UTI. PORÉM FALTA-LHE CONHECIMENTO E RECONHECIMENTO PARA COM PERUS, QUE CONTA COM MAIS DE 11.000 OBREIROS E NUNCA SOFREU UMA CISÃO. ALIÁS O PR ELIAS QUE ERA MEMBRO DA PRESIDENCIA HA MAIS DE 03 (TRES) ANOS, E DIRIGIA SETOR DE TRABALHO HÁ 10 (DEZ)ANOS NÁ ÉPOCA, NÃO ACEITOU A PROPOSTA DE MADUREIRA (BRAS) PARA JUBILAR O PR BENJAMIM NO HOSPITAL, PREFRINDO QUE O CONSELHO DE MINISTROS DA IGREJA, ALIÁS, O ORGÃO MAXIMO DA INSTITUIÇÃO DECIDISSE A QUESTÃO, O QUE FOI FEITO. ALIÁS, BRÁS, TAMBÉM É AUTONOMO E CAMPINAS, TAMBÉM É AUTONOMO. TODOS DESLIGADOS DE MADUREIRA. É CONSULTAR OS ULTIMOS ESTATUTOS, NEM SEMPRE, REFORMADOS COM 15.000 MEMBROS QUE DECIDIRAM PELA AUTONOMINA, APENAS CONVEÑCIONAL, POIS JURIDICAMENTE, PERUS SEMPRE ANDOU SOZINHO. ALIÁS, PERUS NÃO EST NA MIDIA, NEM SE ENVOLVE EM INTRIGAS, E GASTA TEMPO COM DISCUSSÕES QUE NÃO LEVAM A NADA. PERUS, SÓ FAZ O SEU PAPEL, QUE É CUIDAR DA IGREJA DE JESUS, E ABRIR NOVAS IGREJAS, DAÍ PORQUE ESTA M 20 ESTADOS E 24 PAISES, PARA A GLÓRIA DE DEUS. PARABENS AO PR ELIAS CARDOSO E SUA DIRETORIA, POR NÃO SE DESVIAR DOS MARCOS ASSEMBLEIANOS, COISA QUE MUITAS CONVENÇÕES NÃO TEM CONSEGUIDO FAZER.

    ResponderExcluir
  7. VAMOS AOS FATOS. FILIAÇÃO CONVENCIONAL NÃO QUER DIZER NADA, AFINAL É A IGREJA QUE SE ESTABELECE, ABRE NOVAS CONGREGAÇÕES, E SOB LIDERANÇAS SÉRIAS ESCOLHEM SEUS OBREIROS, ALIÁS, QUE TIPO DE OBREIROS, QUEREM EM SUAS FILEIRAS. HOJE GRANDE CONVENÇÕES GOVERNAM SOB LIMINARES, POIS A DISPUTA POR PODER É GRANDE, PRINCIPALMENTE EMPRESAS COMERCIAIS, MUITAS VEZES NO NOME DE SEUS DIRETORES. PERUS NASCEU, E CRESC EU SOZINHO, E NOS SEUS MAIS DE 1.200 TEMPLOS NO PAIS E FORA DELE NÃO SE VÊ, CARNICEIROS, COMO COMENTARAM ADIANTE. ALIÁS, PERUS, AINDA É ASSEMBLEIA DE DEUS COM MUITA HONRA. A FAMILIA BENJAMIM É CUIDADA E PARTICIPA ATIVAMENTE DA IGREJA, NINGUÉM SE PERDEU. ALÍAS, NO VELORIO DO PR BENJAMIM E MISS. ROSALINA NÃO HAVIA UMA LIDERANÇA SEQUER DE CONVENÇÃO. SÓ PERUS. PORQUE? A RESPOSTA É SIMPLES. PORQUE PERUS NÃO ACEITOU SER TRATADO COMO OS DEMAIS CAMPOS, COM PARTILHAS ETC. ALIÁS, NOVAMENTE. O ENGENHEIRO QUE COMANDA TODA CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE PARA 10.000 PESSOAS É O PRÓPRIO FILHO DO PR BENJAMIM, PARA VERGONHA DE SATANAS E DESMASCARAMENTO DOS MENTIROSOS, QUE NADA SABEM DE PERUS. ALÍAS, NOVAMENTE, PERUS FOI UM DOS UNICOS CAMPOS CAPAZ DE ESCOLHER DENTRE OS SEUS, UM HOME PARA GOVERNA-LO. SERÁ QUE OS OUTRO CAMPOS NÃO TEM? SE O NOSSO QUERIDO PASTOR BENJAMIM ESTIVESSE ENTRE NÓS SERIA TRATADO COM RESPEITO, COMO SEMPRE FOI ATÉ O SEU ÚLTIMO MINUTO ENTRE NÓS. ALÍAS, TODOS OS MINISTROS DE PERUS, NENHUM DELES SE PERDEU. TODOS ESTÃO ENTRE NÓS, PORQUE SÃO RESPEITADOS, CONSIDERADOS, E FIZERAM A OBRA DE DEUS COM MUITO DESVELO. PERUS É PERUS, VALE A PENA CONHECER. AGORA QUEM NÃO GOSTA DE IGREJA? DIVERTA-SE COM AS NOVAS COMUNIDADES DESLIGADAS ÀS ESCONDIDAS DAS CONVENÇÕES. VEJAM OS ESTATUTOS. O LOTEAMENTO DAS IGREJAS PARA OS NOMES PESSOAIS DE PASTORES.
    FORTE ABRAÇO. É SÓ PARA CALAR MENTIROSOS E CALUNIADORES QUE NADA SABEM E NADA CONHECEM COMO DISSE O APOSTOLO PAULO. DEUS ABENÇOE OS ASSEMBLEIAMOS QUE AMA AS ASSEMBLEIAS DE DEUS. AQUELA DE PASTOR DANIEL BERG GUNAR VINGREN PR PAULO MALACALÃO E TANTOS OUTROS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmãos, infelizmente o que estamos vendo hj é Politicagem dentro das igrejas, me faz lembrar da igreja de Corinto a qual dizia uns:eu sou de Paulo, outros:eu sou de Apolo, outros:eu sou de Cefas,e outros para querer serem até melhor e superior aos demais anteriores diziam:eu sou de Cristo. Diante das justificativas ministeriais citadas acima eu faço as minhas palavras as de Paulo . está Cristo dividido? Irmãos a única bandeira que devemos levantar é a de Cristo e a do seu Evangelho genuíno,deixemos essas brigas ministerias de lado, e olhemos para o Senhor autor e consumador da nossa fé, enquanto nós cristãos ficamos se degladiando entre nós mesmos, o adversário das nossas almas está levando milhares de almas para o inferno,o importante é servir a Deus fazer sua vontade, ganhar almas para o seu Reino e viver uma vida santa e irrepreensível diante de Deus e dos homens, e me desculpa se ofendi alguém, mas acho desnecessário brigarmos defendendo tais teses, só acho uma coisa:devemos respeitar o chamado que Deus teve na vida desses homens que fundaram as Assembléias de Deus, é uma ignorância e digo até mesmo um pecado falarmos de maneira pejorativa e desdém da vida de homens que tanto contribuíram para a obra do Senhor que até hoje o que eles fizeram estão surtindo efeitos em nosso País como no mundo, quem se diz Assembleiano deveria refletir mais sobre isso principalmente, independente do ministério que vc congrega, saiba que vc hoje está em uma Assembléia é pq um dia teve um fundador primário lá atrás.Gunar Vingren, e Daniel Berg e outros homens que foram homens comprometidos com causa de Cristo!

      Excluir
  8. Ora, interessante artigo e algumas argumentações nos comentários. Gostaria de contribuir na linha de pensamento e para isto vou dividir meu comentário em duas partes (sobre a importância do conhecimento acadêmico e outra sobre os comentários anônimos) . Talvez o argumento seja longo, mas é necessário para melhor esclarecimento.

    PARTE 01 – A IMPORTÂNCIA DA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO ACADÊMICO

    Acerca dos acontecimentos históricos que ao longo do tempo foram transformados em historiografia das Assembleias de Deus, são e serão sempre discutidos sobre a égide do embate. Neste caso de Perus, quem tem o monopólio da verdade? O que está escrito em Ata ou a versão do Ministério de Perus? Cabe a este novo ministério (Perus) escrever sua historiografia, em outras palavras, escrever o seu ponto de vista do acontecimento com argumentações lógicas, documentadas etc.

    Não escrever simplesmente porque acha que é assim, que é a “sua verdade”, mas algo construído com bases históricas, documentais, recortes de jornais etc. O Ministério de Perus teria condições argumentativas e lógicas de escrever em livro sua história? Seus mais de 60 anos de inserção e influência ou não no campo pentecostal brasileiro?

    E neste caso, com tantas versões de um mesmo fato, qual o papel do pesquisador acadêmico? Cabe ao pesquisador acadêmico observar ambos os lados e não dar um veredicto de quem está certo ou errado (essa não é a função da pesquisa científica, trabalhos acadêmicos, dissertações e teses), mas sim analisar os acontecimentos a luz de teorias sociológicas, históricas, das ciências da religião e tantas outras vertentes teóricas de demais ciências humanas e aplicar os acontecimentos a tais linhas teóricas por meio de uma metodologia.

    Ao pesquisador vinculado ao seu objeto de pesquisa, cabe um rigor crítico, pois é isso que o conhecimento moderno difundido pelas universidades apregoam, o pesquisador religioso não pode ser, utilizando o linguagem sindicalista, um pelego, mas analisar criticamente os fatos a luz de teorias aqui já ditas.

    Aliás, o texto do Maxwell se propõe a isto, é uma análise crítica, acadêmica científica, não pretendendo dizer quem está certo ou errado. A construção do conhecimento acadêmico é forjada desta forma, sob as análises teóricas e metodológicas, outros acadêmicos podem questionar sua interpretação e sugestionarem novas pesquisas e descobertas, e por meio de novos textos acadêmicos baseados em pesquisas (no âmbito de graduação, mestrado ou doutorado) será possível construir maiores conhecimentos acerca do assunto.

    Vale ressaltar que este texto publicado pelo pesquisador Maxwell em 2012 foi fruto de pesquisas iniciais de seu doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), novas análises documentais, leituras, pesquisas e entrevistas foram desenvolvidas de 2012 até agora (2014), seu doutorado será finalizado em 2015, onde essa e outras análises acerca da Assembleia de Deus, a luz de teorias históricas com diálogos com a sociologia, serão apresentadas e publicadas.

    Seria interessante que outras pessoas se aventurassem neste mundo acadêmico (seja Ciências da Religião, Antropologia, História, Ciências Sociais, Econômicas etc) para pesquisas sobre as Assembleias de Deus (neste caso Perus) para construção de um aparato intelectual organizado, pois quanto maior o número de dissertações e teses acerca de um assunto, melhor a analise do leitor acerca da história

    E nesta primeira parte encerro com trecho de um texto de Arthur Ford, pois é preciso rogar a Deus que nos livre "da covardia que não aceita novas verdades, da preguiça que só aceita meias verdades e da arrogância de pensar saber toda a verdade”.

    Alex Fajardo
    Mestre em Ciências da Religião pela UMESP, graduado em Comunicação Social e graduando em Teologia.

    ResponderExcluir
  9. Pessoal, esta parte 2 será dividida em parte A e B, pois a plataforma do Blogspot não permite comentários acima de 4 mil caracteres.

    PARTE 02 – OS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS E SEUS EMBATES E IDEIAS

    Quanto ao comentário de pessoas anônimas, este recurso do anonimato é interessante para as pessoas dizerem “suas verdades” sem se exporem. Porém meu ponto é outro, me parece que o anônimo que escreve acima faz parte do atual “status quo” do Ministério de Perus. Em vários momentos ele baseia sua argumentação em números e estatísticas e também tenta construir uma legitimidade aludindo à tradição e aos antigos quando escreve que esta Assembleia é: “AQUELA DE PASTOR DANIEL BERG GUNAR VINGREN PR PAULO MALACALÃO E TANTOS OUTROS.”

    Este é um recurso interessante, para tentar ganhar legitimidade, aludir e relembrar sempre o passado, a tradição, pois pensarão que ele segue os passos dos antigos (entretanto todos os recursos e tentativas se esvaziam e são corroídos, pois que legitimidade teria um anônimo? Porque o anonimato?). Entendo o anonimato como portador de um repertório pueril, independentemente da idade de quem escreve, que usa esse recurso para despejar sua catarse atrás de uma máscara chamada anônimo.

    Também entendi que este anônimo quis representar e dar voz ao “coletivo do bem”, o que seria uma espécie de “inconsciente coletivo do verdadeiro membro do Ministério de Perus”, que defende seu ministério citando números e aludindo a tradição e a fidelidade dos antigos.

    Para encerrar, vi o comentário de uma pessoa que se identifica como “MarianaMorE”. Parece-me que ela faz um desabafo em todo o seu texto e encerra lançando um questionamento: “quem empossou o Pr. Elias?” Ora, uma tentativa de explicação por meio da sociologia é a teoria de “poder e dominação” religiosa nos escritos de um dos pais das Ciências Sociais, o alemão Max Weber falecido em 1920.

    (Antes de explicar o conceito, cabe uma explicação, o termo “dominação” aqui não é um termo pejorativo, mas uma construção lógica e científica aplicável a qualquer instituição minimamente organizada dentro da sociedade. Teses sobre a teoria da “dominação” são aplicáveis ao campo político, por exemplo, o caso do PT e o Lula, a construção da dominação de poder do Lula no PT e seus entrelaçamentos. Este é apenas um exemplo, o estudo científico sobre as relações de poder e dominação é intrínseco as instituições criadas pelo ser humano, seja ONG, Igreja, Associação, partido, sindicato etc)

    Weber constrói três formas de dominação, a racional-legal, tradicional e carismática. Para explicar resumidamente:

    Racional-legal: pressupõe a aceitação das ordens pela legalidade e do direito estabelecido. É uma forma burocrática em que regras estão definidas e escritas, a legitimidade tem uma competência funcional e não emocional.

    Tradicional: é um reconhecimento vindo dos antigos, da tradição, muitas vezes passada de pai para filho.

    Carismática: exercida por um dom “sobrenatural”, um heroísmo, um milagre atrai uma confiança cega e desprovida de críticas, costumes e legalidade. O seu portador é considerado uma pessoa extraordinária, “enviada pelo divino”.

    continua abaixo na parte B ....

    ResponderExcluir
  10. ..... Parte B do 02, continuação

    Analisando rapidamente, a dominação exercida pelo antigo pastor (Benjamim) era carismática, por meio dele construiu, nas palavras do jornal oficial ao relatar seu falecimento, que ele teria erguido “um dos maiores impérios evangelísticos que o Brasil já conheceu”. Ele era portador de um carisma que “unia seu rebanho”.

    Entretanto, com seu falecimento, havia a necessidade de uma sucessão, seguindo as linhas de pensamento sociológico de Weber, a sucessão tradicional não foi possível, não iria passar de pai para filho e com a legitimidade dos antigos.

    O “problema” da dominação carismática é que uma hora ela acabará retornando para a dominação racional-legal, que a meu ver, analisando as teorias de Weber, foi o que ocorreu no caso analisado, o novo pastor (Elias) assume na tensão da “dominação racional-legal”, ou seja, assume baseado na legalidade e do direito estabelecido. Está forma de agir, pode ser vista no texto do comentarista anônimo quando diz de um suposto “golpe”, o anônimo escreve que: “NÁ ÉPOCA, NÃO ACEITOU A PROPOSTA DE MADUREIRA (BRAS) PARA JUBILAR O PR BENJAMIM NO HOSPITAL, PREFRINDO QUE O CONSELHO DE MINISTROS DA IGREJA, ALIÁS, O ORGÃO MAXIMO DA INSTITUIÇÃO” Ora, quando o anônimo alude o “órgão máximo da instituição” ele está dizendo que tudo ocorreu na mais tranquila legalidade. (do ponto de vista da dominação religiosa).

    Em um dos argumentos finais o anônimo termina com um elogio ao atual pastor “PARABENS AO PR ELIAS CARDOSO E SUA DIRETORIA, POR NÃO SE DESVIAR DOS MARCOS ASSEMBLEIANOS,”, ou seja, existe a tarefa de construir uma legitimidade não mais legal e jurídica, mas agora de dominação carismática em torno dos membros, aludindo que o pastor e sua diretoria não desviam dos “marcos assembleianos”.

    Outra forma de construção da legitimidade do novo pastor é a tentativa de transferência de carisma do antigo pastor, um dos métodos é citando a família do antigo pastor, como faz o anônimo ao escrever: “ALIÁS, NOVAMENTE. O ENGENHEIRO QUE COMANDA TODA CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE PARA 10.000 PESSOAS É O PRÓPRIO FILHO DO PR BENJAMIM, PARA VERGONHA DE SATANAS”. O anônimo tenta transferir o fato de o filho do antigo pastor estar realizando uma obra da igreja, que isto significa que ele (novo pastor) está alinhado com o perfil do antigo pastor, pois existe harmonia com os familiares. E ainda mais, o anônimo afirma que isso é para: “VERGONHA DE SATANAS”. Ele leva o assunto para o âmbito espiritual, levando a crer que quem pensa ao contrário, estará sendo envergonhado e ainda por cima está do lado das forças malignas.

    Bom, está é uma rápida interpretação pelas lentes da sociologia, via teoria da dominação religiosa de Max Weber que escreveu estas teorias há mais de 100 anos e parecem estarem atualizadas a cada dia.

    Encerro insistindo para que novos pesquisadores da Religião surjam no cenário acadêmico e pesquisem este campo de estudos “assembleianos”, suas rupturas e continuidades, como faz o Maxwell. A construção do conhecimento acadêmico agradece.
    .

    ResponderExcluir
  11. Quero tambem deixar meu comentário a respeito dad perus, a qual toda a verdade ainda não foi esclarecida. O comentário de Mariana MoeR acima, foi realmente o que aconteceu naquele dia,quando o Pr. Benjamim ainda muito enfermo na cama em um quartoOs carniceiros aguardavam somente a morte do sevo de Deus para tomar a força a igreja perus,Mas o Pastor Elias que congregava na Vila Santa Maria bancou o esperto, e num gesto audacioso convenceu a força o Pr. Benjamim que ele seria o mais cotado para sr o lider da adperus ( em joão cap. 10 Aquele não entra pela porta do curral,das ovelhas mas sobe por outra parte é ladraõ e salteador) .Gostaria de saber o dia da reunião com a Diretoria para escolher o secessor do Pr. Benjamim,me de os nomes dos que participaram desta reuniao, a data, o horário desta reunião(isto é se houve reunião) quero e mais quem empossou o Pr. Elias como presidente do Ministério Perus? por favor mande o nome dele pois estou curioso para saber quem foi. o filho do pastor Benjamim era seria pelo certo o secessor do pai, e a familia Pr. José da Silva e toda a sua familia onde está? o que fizeram e ainda estão fazendo com essa familia, Conheço todos desta família e tive a oportunidade de ouvvir de algumas pessoas da familia a verdade, o que aconteceu realmente , Pr. Benjamim foi realmente forçado a passar a liderança para o Eliase não houve reunião alguma, e muito menos empossamento.( Deus viu tudo o que aconteceu naquela tarde ), uns dos motivos que fez o Elias se rebelar com madureira no an o de 2005. Agora quem ousa abrir a boca e falar a verdade? vai ser porcessado pois o homem é advogado e tem muitos amigos na mesa diretora. Não continue quietos, procurem saber mais sobre o assunto, pois afinal de contas OS MENMBROS E OBREIROS NAO PODEM CONTINUAR A S.EREM ENGANADOS. Quem saber a data da reunião da diretoria e nomes dos que participaram, como tambem a data do empossamento do Elias, afinal de contas deve existir uma ATA .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Companheiro gostei do seu comentário.. Nesta decisão de perus.. Não sei a data mesmo mais estive nesta reunião a muito tempo em que o próprio pr Elias o mesmo se emposou cono o presidente de perus. E enfim nos pastores fumos praticamente forçado P.. Eles mesmo se empossa como presidente de perus um absurdo isso.na verdade ele PR Elias não quis se submisso a Madureira.

      Excluir
  12. Como membro ativo de perus desde meu nascimento, conheço a fundo a sua historia, tanto na pratica como documental. Qualquer pessoa por mais ignorante sabe, que ninguém pode se autoproclamar a esse ou aquele cargo. O certo é que perus fez e faz historia com transparência e verdade. As atas estão em cartório e são publicas, para vergonha dos difamadores. A diretoria é a mesma, e aliás o pastor Elias, não poderia convencer o pastor Benjamim em coma há mais de 30 dias. Aliás o pr elias era o primeiro vice presidente, e toda diretoria ratificou por voto e o elegeu numa eleição legitima e transparente lavrada em ata e reconhecida por todos. As fiamadores de plantão que aliás já caíram fora de Perus, pois não cabem no formato de Perus, que é de democracia e transparência, ficam dando opinião do que não sabem, não conhecem, e ainda pior, prestando-se a espíritos enganadores tentando manchar o nome de uma igreja de 67 anos, que aliás tem feito bonito em nossos congressos em onde tem se apresentado para fazer a obra de Deus. Se o pastor elias é de fato o vigarista como querem pinta-lo, imagem outros que tomaram o trono a força, mudaram a igreja e fazem dela grandes negócios? Mas Deus nos guarde. Segundo nossa liderança o livro a historia de Perus vem aí para calar a boca de difamadores a serviço do ministério público do inferno, ao invés de promoverem o reino de Deus se prestam a fzer mais pesados os nossos fardos contra o pecado e todo o seu reino. Deus nos guarde. Nos perdoe o desabafo. Mas o Ap. Paulo chamou essa categoria de gente de bestas ruins, mentirosos, alunos das escolas dos cretenses e de balaão que só sabem lançar tropeços.

    ResponderExcluir
  13. Ao que parece existe um certo ciúmes e ilegitimidade de alguns comentaristas que nem de perus são. Outros sao de outras igrejas que nem frequentam perus. Será que conhecem do dia a dia de Perus? Que Deus Nos guardem! Nosso inimigo é o diabo e não os irmãos, e não a igreja. Uma igreja constituída de golpes e mentiras só pode dar certo na cabeça desses comentaristas. Sangue de Jesus tem Poder!

    ResponderExcluir
  14. Irmão não perca seus tempo escrevendo setas diabólico não vai orar e jejua e deixa Deus trabalho se tem engano em perus amem no dia final ninquem vai escapar apaz do senhor a todos.....

    ResponderExcluir
  15. Tive o privilegio de congregar neste abençoado ministério por muitos anos, foi lá que eu tive minha formação ministerial, dirigi igrejas, posso dizer que era um dos ministério mais organizado e ético. quando cheguei em Perus o presidente era o pr. Benjamim e o vice presidente era o pr, Felisberto, dois verdadeiros anjos de Deus, homens de palavra e de unção, depois com o agravamento da doença do pr. Felisberto ele foi jubilado e em seu lugar assumiu a primeira vice presidência o pr. José Nicolau. a diretoria do Campo era composta por cinco vice presidentes e cinco suplentes, homens honrados e comprometidos com a obra de Deus, nem um desses homens era assalariado pala igreja, todos tinham seus empregos seculares. O pastor Elias por ser advogado fazia parte da diretoria como assessor jurídico, como foi mencionado que ele veio do setor de Santa Maria, é verdade, só que antes dele assumir a vice presidência ele assumiu o setor do populoso bairro do Damasceno, lá ele fez um excelente trabalho, não sei dizer quantas congregações existia quando ele assumiu, eram poucas e quando ele saiu deixou o setor com dezessete. Devido a sua boa desenvoltura como pastor foi convocado para a sede onde assumiu a vice presidência no lugar do pr. José nicolau. O pr. Benjamim esteve muito doente, (não me lembro o ano) todos achavam que este seria o seu fim, nessa época ouve muitos boatos em relação a família ferreira que trabalhava nos bastidores com o objetivo de assumir o comando do majestoso campo, pastores amigos meus que dirigiam campo na época, me contaram que receberam proposta de madureira para se desligar de perus e se ligar direto a madureira, alcançando o stato de campo, ninguém aceitou esta proposta preferiram ser fiel ao seu presidente que estava em um leito de UTI, os dias se passaram e o guerreiro se recuperava, e como que um milagre, a saúde do nosso presidente foi restaurada e novamente lá estava ele no seu lugar, presidindo o campo de perus. Lembro-me que depois da sua recuperação ouve uma grande escola bíblica de obreiros, nessa escola lá estava ele, no ultimo dia da escola na parte da tarde recebemos uma ilustre visita, no domingo na parte da tarde adentrava no templo com sua comitiva o estimado pr. Manoel Ferreira, foi recebido com muita honra e respeito, pr. Benjamim passa a direção da igreja para ele, antes de ministrar a palavra ele fez algo que todos os pastores e obreiros de perus esperavam; ele se dirige a plateia e pergunta: - quem concorda que o pr. Benjamim seja presidente vitalicio do campo de perus? todas as mãos se levantaram e todos disseram amem, foi algo muito lindo.
    Quando o pr. Benjamim adoeceu novamente e depois passou para está com o Senhor, eu já não estava mas no campo de perus, mas continuava com minhas amizades com muitos obreiros de lá, perus era visto pelos ferreiras como algo muito importante, e eles queriam se apossar desse campo mais do que tudo, como já falei antes, perus não era um campo de um pastor só, existia um conselho de pastores com voz e vês, e este conselho sabendo da ambição de madureira pelo campo de perus, deliberaram em criar um documento que lhes asseguravam o direito de continuarem na direção do campo apos a vacância do presidente vitalicio, de modos que quando o pastor Benjamim partiu para o Senhor, Samuel Ferreira foi com uma grande comitiva de pastores para dar posse ao novo presidente (eu sei quem era que ia assumir a presidência mas prefiro não revelar) porem quando lá chegaram não puderam realizar sua importante missão, pois o campo de peruas já tinha sua nova diretoria formada e amparada pela lei.

    Um abraço a todos. José Evaldo Tabosa Barbosa-São Paulo-sp

    ResponderExcluir
  16. um pastor que compara a casa de deus com um forum que com muito respeito a todos os forum mais nao tem nada aver um com o outro pois a casa de deus e a casa do pai e esse pai nao e como nos o seu amor e infinito ex eu sou um pai mau mais minhas filhas e filhos tem entrada livre com chapel com bone descalço com bermuda de calça de chinelo de dedo e ruim de aceitar tal comentario

    ResponderExcluir
  17. Tem gente que nem sabe o que está dizendo, pois os dois filhos do pastor Benjamim não eram membros da igreja desde 1970 ou1971, foram excluídos pelo próprio pai por jogarem bola e assistirem televisão na casa do vizinho, houve uma pressão por parte dos prebíteros e diáconos da igreja naquela época. Sou do ministério de Perus desde que nasci, há 52 anos, vi acontecer este fato quando eu era apenas uma criança.

    ResponderExcluir
  18. Aguardem o livro: A história de Perus, vem aí. Os difamadores, mentirosos, caluniadores e lançadores de tropeços, que aliás, nunca dera certo e já caíram fora de Perus, terão que amargar uma história de vitória e perseverança de um ministério que não se dobra. Tudo para a Glória de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão pra que isso? São se dobra a que? Caluniadores, difamadores, mentirosos!? Irmão menos, nossa luta, não é contra carne nem contra o sangue! Vamos ter mais cuidado com nossas palavras! Amém!?

      Excluir
  19. De coração e por Deus, não quero criar polemicas ou antagonismo mas como, por ser filho do Pastor Benjamim, não posso deixar de fazer algum comentário se for solicitado. Quanto a condição carismática e espiritual da Assembleia de Deus de Perus não tenho a minima capacidade de responder pois este julgamento pertence a Deus. Isto não há nenhuma aprovação ou reprovação de minha parte. Posso afirmar com toda a convicção que meu pai era um pastor ungido e não se apoderou do trabalho de Perus para sí como ouvi várias vezes. Sempre ouvia dele que o galardão dele estava nos ceus e não necessitava de "galardão" na terra. A História da vinda dele para Perus não é desse jeito. Quanto á sucessão posso afirmar que Moises não foi substituido pelos seus filhos mas por Josué. Saul tambem foi substituido por Davi. Posso citar muitos outros antigos e esta sucessão deve ser escolhida por Deus. Quanto a condição administrativa da igreja posso dar algumas informações a quem interessar. Gostaria de que pedissem ao meu irmão como ele é o engenheiro responsavel da obra e pelo que ele me disse não foi por ser filho do antigo Pastor mas participando de uma concorrência. Lembro de tudo desde os meus cinco anos de idade (1959) principalmente até 1970 e posteriormente durante o inicio do ciclo das enfermidade do meu pai (1993) até o seu falecimento em janeiro de 2002. Durante este periodo não abandonei meu pai em nenhum momento, dentro do possível e na minha condição de pai de familia com tres filhos que tinha para sustentar com o suor do meu trabalho. A igreja tambem nunca abandonou meu pai. Sei quase tudo o que houve com ele e tambem a vida missionária da minha mãe principalmente nos primórdios que era muito mais dificil. A parte administrativa posso esclarecer o que presenciei. Me coloco á disposição de todos que quiserem alguns esclarecimentos verdadeiros de minha parte de situações legais. Jairo Felipe Rodrigues (Desculpe colocoar como anonimo pois não tenho a URL mas meu nome esta ai em cima.

    ResponderExcluir
  20. Gostaria de manter contato com o senhor! Meu e-mai é profmssantana@hotmail.com

    ResponderExcluir
  21. o que posso dizer é que não preciso conhecer á fundo a história deste ministério, apenas me satisfaz o fato de que através Dele conheci á Cristo em 1977 com 6 anos. Fui batizada nas águas e com o Espirito Santo,e jamais permitirei que fatos internos discutidos por pessoa que ¨talvez¨nem participam na integra, menospreze o ministério de um homem que foi canal de Deus na minha vida e da minha família ,,,,, amuuu sim ,,,,sem querer ofender ninguém pois sei que todos podem se expressar com bem entender,,,,, graça e paz amigos

    ResponderExcluir
  22. Fizeram a obra isto é que importa..

    ResponderExcluir